24 SET 2020 | ATUALIZADO 18:36
VARIEDADES
Da redação
30/03/2018 18:28
Atualizado
13/12/2018 02:42

Obrigada meu pisciano favorito, por Carolina Rosado

A+   A-  
A verdade é que Jesus quis mudar a realidade da sua época e foi crucificado. Essa era a sentença dada a uma pessoa naquele tempo “morte e morte de cruz”
Imagem 1 -  Obrigada meu pisciano favorito, por Carolina Rosado

Nesta Sexta da Paixão, eu gostaria de dizer que não posso deixar de crer num Cristo cujo ponta pé inicial na caminhada, foi transformar água em vinho. E não em qualquer vinho, mas no melhor vinho.

Depois esse cara revolucionou o bagulho: meio dia uma mulher sozinha trabalhando, porque era chamada de rapariga e escória, foi por Ele escolhida - sua porta-voz. Depois arruma como amigos: jovens, pobres, não alfabetizados, EX-PROSTITUTAS!!!!! Chocante né?

Sua mãe também deveria ser super bem falada, afinal engravidou quando ainda era noiva, e não foi do noivo. É sério gente, tá na Bíblia.

Mas, ainda sobre Jesus: mandou um rico vender tudo que tinha, dá aos pobres e segui-lo; depois parece que criou uma afeição por pecador, fraco e oprimido. Sua amiga mais próxima era Madalena, ficha: ex puta, ex possuída por uma legião de demônios.

Você não sabe essas coisas porque é preguiçoso, e nem tem mais idade para acreditar em tudo que te contam sem questionar.

A verdade é que Jesus quis mudar a realidade da sua época e foi crucificado. Essa era a sentença dada a uma pessoa naquele tempo “morte e morte de cruz”. Não foi qualquer morte, embora mais dois “bandidos” estivessem a seu lado, entendeu? Um foi perdoado. O outro escolheu seu destino, lembrando-nos da nossa responsabilidade e da diversidade de pensamentos e escolhas.

Mas, meu ponto é: sério Jesus, se não tivessem te criado, e eu quisesse sonhar com a existência de um Deus, Ele seria você. Um Deus humano. Morreu não pra apagar pecados, ou não só, isso é muito simples. Mas para transformar histórias e nos lembrar que devemos viver com utilidade: olhando por “detrás das malhadas” (vão no Google), acolhendo, amando, perdoando e cumprindo uma missão existencial.

Se a Sexta da Paixão me diz algo além do tradicional, é isso: viva uma vida que valha a pena, porque quando a dor chegar e ela vai chegar, você sabe a razão pela qual está ali, o sentido e o porque... e esse é, sem duvida, um grande passo na nossa evolução.

Obrigada meu pisciano favorito.

Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário