30 OUT 2020 | ATUALIZADO 15:39
NACIONAL
AGÊNCIA BRASIL
26/01/2019 10:35
Atualizado
26/01/2019 12:21

Vale informa que mais de 400 servidores não fizeram contato: Bombeiros confirmam 9 mortes

A+   A-  
De acordo com a empresa, a lista está sendo atualizada constantemente, conforme as pessoas são localizadas. “Se o seu nome está na lista, favor entrar em contato com a nossa ouvidoria para comunicar”. O telefone para atendimento é o 0800 821 500
Imagem 1 -
REUTERS/Washington Alves

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais registrou, até o início da madrugada de hoje (26), nove mortes em decorrência do rompimento de uma barragem de rejeitos da mineradora Vale, no município de Brumadinho. O último balanço da corporação informa ainda o resgate de nove pessoas retiradas com vida da lama de rejeitos e de cerca de 100 pessoas que estavam ilhadas.

A mineradora divulgou, na manhã de hoje, uma lista com o nome das pessoas que não fizeram contato desde o rompimento da barragem. Mais de 400 pessoas, entre funcionários do quadro e terceirizados, integram o levantamento da mineradora.

De acordo com a empresa, a lista está sendo atualizada constantemente, conforme as pessoas são localizadas. “Se o seu nome está na lista, favor entrar em contato com a nossa ouvidoria para comunicar”, pediu a mineradora em comunicado. O telefone para atendimento é o 0800 821 500.

O governo de Minas informou que nove corpos foram resgatados. Ainda não há a identificação das vítimas. Até o momento, 23 pessoas foram levadas para o hospital. No total, os bombeiros resgataram 189 pessoas ques estava ilhadas próximo ao local do acidente.

A capela de Nossa Senhora das Dores, na parte alta do bairro que leva o mesmo nome da mina, foi transformada num centro de operações dos bombeiros. O gramado é usado como pista de pouso e decolagem dos helicópteros, que reiniciaram as buscas na manhã deste sábado sobrevoando a área tomada pela lama. Quatro caminhões-bau foram posicionados ao lado do campo com a incumbência de levar os corpos para o IML.

Essa é a área mais próxima ao local onde ficavam os escritórios e o restaurante da mineradora Vale. O acidente ocorreu na hora do almoço, pouco depois do meio dia, e a lama inundou justamente essa área, um vale logo abaixo da barragem.

Moradores do bairro acompanham o trabalho dos bombeiros. Rômulo Henrique de Oliveira, 31 anos, aguarda notícia do irmão Rodrigo Henrique de Oliveira, que completou 31 anos no dia 3 de janeiro e é um dos desaparecidos.

— Escutei o barulho e desci correndo para ver o que era. Parecia ventania, um furacão — conta Rômulo.

Ele estima que pelo menos 200 pessoas estavam na área do restaurante, pouco abaixo dos escritórios. O que se vê no lugar é lama.

— Eu sabia que o Rodrigo estava trabalhando. Ele era operador de máquina — diz Rômulo.


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário