19 MAI 2019 | ATUALIZADO 09:00
NACIONAL

Vale do Rio Doce suspende buscas por haver risco de acontecer novo rompimento em Brumadinho

Neste domingo, 27, deve chegar ajuda de Israel, solicitada pelo presidente Bolsonaro. Bombeiros contabilizam 37 mortes, sendo que 8 estão identificadas; a Companhia calcula que ainda exista quase 400 pessoas desaparecidas
27/01/2019 09:54
Atualizado
27/01/2019 10:01
A+   A-  
Vale suspende buscas por haver risco de acontecer novo rompimento em Brumadinho
Rompimento de uma das barragens da Vale do Rio Doce, em Brumadinho, região próxima a Belo Horizonte, deixou mais de 400 desaparecidos, 37 mortos já resgatados, 8 destes identificados e existe risco de rompimento de outra barragem do Complexo de contenção de rejeitos da companhia; Buscas estão suspensas em função disto
ISAC NÓBREGA/PR

Menos de 24 horas depois da tragédia na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, nos arredores de Belo Horizonte (MG), a companhia Vale voltou a acionar as sirenes de alerta. Elas foram acionadas por volta das 5h30 da manhã de hoje (27).

Os moradores que estavam na área foram retirados do local. Com isto, continuam suspensas (a suspensão oficial das buscas aconteceu na noite deste sábado, às 20 horas) as buscas pelas mais de 350 pessoas  que estão desaparecidas. 

O presidente Jair Bolsonaro disse que provavelmente ao meio dia deste domingo chega 140 homens e cerca de 16 toneladas de equipamentos enviados pelo Governo de Israel para ajudar nas buscas dos desaparecidos.

“Após contato com o Primeiro-ministro de Israel, @netanyahu , chegam hoje, às 12h, em Belo Horizonte-MG, recursos humanitários e profissionais; São 140 pessoas e 16 toneladas de equipamentos destinados a busca de desaparecidos em Brumadinho [MG].”

Sobre um possível novo rompimento de barragens no Complexo de Contenção de Rejeitos da Vale do Rio Doce em Brumadinho, em Minas Gerais,  em comunicado, a companhia informou que foi detectado aumento dos níveis da água na região. 

“A Vale informa que, por volta das 5h30 deste domingo, acionou as sirenes de alerta na região da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), ao detectar aumento dos níveis de água nos instrumentos que monitoram a barragem VI.” 

De acordo com a empresa, a barragem faz parte do complexo de Brumadinho. As autoridades foram avisadas e os moradores retirados do local. 

“Como medida preventiva, a comunidade da região está sendo deslocada para os pontos de encontro determinados previamente pelo Plano de Emergência.” 

Segundo a empresa, o monitoramento será mantido. “A Vale continuará monitorando a situação, juntamente com a Defesa Civil. Novas informações a qualquer momento.”


Número de mortes sobe para 37

Subiu para 37 o número de vítimas em Brumadinho, das quais oito foram identificadas, segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. Até o momento, 192 pessoas foram resgatadas após a tragédia na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, nos arredores de Belo Horizonte (MG).

Neste momento, as buscas estão suspensas após risco de novo rompimento na região.

Moradores de quatro zonas de risco (Parque da Cachoeira, mais próxima à barragem B6; Pires; Centro de Brumadinho; Bairro Novo Progresso) estão sendo orientados a sair de suas residências devido ao risco de rompimento da barragem.

A orientação do Corpo de Bombeiros é que a população siga para um dos três pontos de apoio na cidade: Igreja Matriz, Delegacia de Brumadinho e Morro do Querosene 

O Corpo de Bombeiros informou ainda que o acesso à cidade está bloqueado, em razão de risco iminente de rompimento. Dessa forma, moradores não estão autorizados a voltar em suas residências para recuperar seus pertences. 

Bombeiros

“Estamos com equipes da Academia de Bombeiros Militares. Nesse local existem cerca de 25 casas. Devido ao risco de rompimento da barragem, os trabalhos de busca estão temporariamente interrompidos, porque nosso foco agora é todo efetivo está empenhado na evacuação dessas áreas”, disse o porta-voz do Corpo de Bombeiros, tenente Pedro Aihara.

Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário