14 OUT 2019 | ATUALIZADO 12:12
MUNDO

Ministro da Defesa anuncia que "tentativa de golpe" na Venezuela acabou e foi "insignificante"

O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, usou sua conta no Twitter nesta manhã para relatar que a tentativa de golpe do autoproclamado presidente venezuelano, Juan Guaidó, havia sido debelada
DA REDAÇÃO
30/04/2019 14:38
Atualizado
30/04/2019 14:45
A+   A-  
Imagem 1 -  Enquanto blindados da Guarda Nacional Bolivariana reprimiam manifestantes diante da base militar de La Carlota, em Altamira, o ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, anunciava pela TV uma tentativa de golpe de Estado "insignificante"
Enquanto blindados da Guarda Nacional Bolivariana reprimiam manifestantes diante da base militar de La Carlota, em Altamira, o ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, anunciava pela TV uma tentativa de golpe de Estado "insignificante"
CARLOS GARCIA RAWLINS / REUTERS

Enquanto blindados da Guarda Nacional Bolivariana reprimiam manifestantes diante da base militar de La Carlota, em Altamira, o ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, anunciava pela TV uma tentativa de golpe de Estado "insignificante" na Venezuela , que segundo ele foi "parcialmente derrotada".

O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, usou sua conta no Twitter nesta manhã para relatar que a tentativa de golpe do autoproclamado presidente venezuelano, Juan Guaidó, havia sido debelada. "O Exército Bolivariano apoia firmemente a Constituição e o poder legítimo. Todas as unidades militares colocadas em oito distritos relatam uma situação normal nos estados-maiores e nas bases, todos seguem seus comandantes", escreveu Padrino.

Imagens da TV Reuters mostraram pelo menos quatro veículos blindados, um deles em chamas, avançando contra pessoas em frente à base, que fica em um bairro de classe média alta de Caracas, onde de manhã cedo o líder opositor da Venezuela Juan Guaidó anunciou "o fim definitivo da usurpação" do poder pelo presidente Nicolás Maduro. Guaidó conclamou os venezuelanos a ir às ruas em apoio ao movimento, e depois falou a uma multidão reunida na principal praça de Altamira.

Segundo Padrino, o coronel Yerzon Jiménez Báez foi baleado no pescoço na rodovia Francisco Fajardo, onde ocorreram os confrontos, e será operado. Pelo menos seis manifestantes ficaram feridos e foram levados à policlínica Metropolitana, uma delas baleada, segundo o site Efecto Cocuyo. Um jovem manifestante também teria sido ferido com um tiro no pescoço e foi levado a um hospital particular.

Falando ao vivo da sede do Batalhão de Caracas, o ministro da Defesa afirmou que um grupo reduzido de militares e policiais decidiu sequestrar alguns veículos, armamentos e munições, depois de o autoproclamado presidente interino, Juan Guaidó , anunciar, ao lado de soldados, o início da operação para depor Nicolás Maduro. Na TV, Padrino assegurou que 80% dos militares retornaram a suas unidades. O metrô de Caracas teve as operações suspensas por medida de segurança.


Notas

João Carlos

Publicidades

Unicursos em Mossoró MOSSORÓ

Outras Notícias

Deixe seu comentário