19 MAI 2019 | ATUALIZADO 09:00
SAÚDE

Psicóloga alerta a população sobre os principais sintomas da depressão pós-parto

Isolamento, crises de choro e mudanças de humor repentinas em mulheres com bebê recém-nascidos podem ser indício de depressão. Adriana Melo alerta que é preciso procurar um especialista o quanto antes para realizar o acompanhamento e evitar o agravamento da situação.
13/05/2019 10:25
Atualizado
13/05/2019 10:31
A+   A-  
Psicóloga alerta a população sobre os principais sintomas da depressão pós-parto
A psicóloga lembra que se a doença não for tratada corretamente, em casos mais graves, há risco de suicídio.
FOTO: REPRODUÇÃO

A chegada de um bebê na família é um momento muito esperado para os pais, irmãos e avós. Ninar o filho no colo, amamentar, vê-los dormir é o sonho de muitas mulheres. Mas algumas dessas mães sofrem com alterações de humor, crises de choro e tristeza, por ficarem sobrecarregadas com os cuidados que um recém-nascido exige.

Segundo a psicóloga Adriana Melo, do Hapvida Saúde, esses sintomas são característicos da depressão pós-parto como explica. Ela explica que uma das prováveis causas são as alterações hormonais que ocorrem após a gravidez.

“Outros fatores também podem contribuir para o surgimento da doença: Histórico de depressão pós-parto anterior; Falta de apoio da família, do parceiro e dos amigos; Estresse, problemas financeiros ou familiares; Depressão antes ou durante a gravidez; Histórico familiar de depressão ou outros transtornos mentais e até história de desordem disfórica pré-menstrual (PMDD), que é a forma grave de tensão pré-menstrual (TPM)”.

Segundo a especialista, se a doença não for tratada corretamente pode levar a distúrbios e interferir no relacionamento entre mãe e filho. “É importante frisar que em casos mais graves, há risco de suicídio”, enfatiza.

O tratamento é feito através de medicamentos e psicoterapia, oferecido também de forma integral e gratuita por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). O apoio da família e amigos é fundamental nesse processo.

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM), os episódios podem ocorrer até quatro semanas após o parto, e geralmente tem uma duração entre 3 a 6 meses, porém algumas mulheres podem passar mais de um ano com a depressão.

A Psicóloga orienta que se alguma mulher está preocupada com a depressão pós-parto ou se sente alguns dos sintomas listados deve procurar ajuda e fazer o primeiro check-up pós-natal o mais breve possível.

Deve-se evite o isolamento, evitar a ingestão de cafeína, de álcool e de outras drogas ou medicamentos (a menos que sejam recomendados por um médico).

Adriana Melo ainda diz que manter uma alimentação saudável, fazer exercício físico e receber apoio na medida do possível também ajuda a controlar os sintomas da Depressão Pós-parto.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário