13 NOV 2019 | ATUALIZADO 20:15
NACIONAL

Onze vereadores presos por ir para Gramado (RS) com dinheiro público

Prisão aconteceu no início da manhã desta terça-feira (5) na BR 101 quando os vereadores se deslocavam de Recife para Santa Rita; a autuação dos vereadores está acontecendo na Central de Flagrantes de João Pessoa
05/11/2019 07:54
Atualizado
05/11/2019 10:31
A+   A-  
Imagem 1 -  Vereadores presos pelo Gaeco em flagrante estão sendo autuados na Central de Policia de João Pessoa, no Estado da Paraíba
Vereadores presos pelo Gaeco em flagrante estão sendo autuados na Central de Policia de João Pessoa, no Estado da Paraíba
FOTO: EDILANE FERREIRA

Onze vereadores e um servidor da Câmara do município de Santa Rita, no Estado da Paraíba, viajaram para curtir com familiares na cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul, usando recursos públicos, e ao retornarem na madrugada desta terça-feira (5) foram presos e estão sendo autuados em flagrante na Central de Policia de João Pessoa.

A prisão dos  vereadores aconteceu na  BR 101. Haviam desembarcado no Aeroporto de Recife e estavam retornando de carro para Santa Rita quando foram abordados pelos promotores de Justiça, com apoio da Policia.

De acordo com o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba, eles teriam forjado um congresso para justificar o deslocamento para turística cidade gaúcha com dinheiro público.

Além do Gaeco, a ação denominada de Operação Natal Luz contou com a participação do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco), Delegacias de Combate à Corrupção (Deccor), Polícia Civil de Sergipe e do Ministério Público do Rio Grande do Sul.

Os parlamentares foram levados para Central de Polícia em João Pessoa. A Policia Rodoviária Federal deu apoio logístico ao trabalho dos promotores e dos investigadores. Cada vereador recebeu de R$ 4 a R$ 5 mil de diária da Câmara Municipal para ir fazer o "curso" em Gramado. O contador da Câmara também foi preso pelo mesmo motivo.

Foram presos: Anésio Miranda – presidente da Câmara Municipal (PSB), Brunno Filho de Cicinha (PR), Cícero Medeiros (PRB), Sérgio Confecções (PSDB), Rosa do Vaqueiro (PC do B), João Grande (PRTB), Francisco Queiroga (PTN), Marcos Farias (PC do B), Galego do Boa Vista (PSL), Diocélio de Várzea Nova (PSL), Ivonete Barros (PSD) e o servidor Fábio Cosme de França.


As prisões

O site Paraíba Já informou que "as prisões começaram a acontecer por volta das 3h15, quando Ivonete e Rosa do Vaqueiro foram detidas.

Cerca de 15 minutos depois, às 3h30, foi a vez de Cícero e Sérgio Confecções. Menos de 10 minutos depois, Marcos Farias, Brunno e Fábio Cosme foram presos.

Somente por volta das 4h30, Diocélio, Galego do Boa Vista e João Grandão foram detidos – o trio tentou fugir.

Notas

Compra Notebook

Publicidades

Eleições 2020 MOSSORÓ

Outras Notícias

Deixe seu comentário