08 ABR 2020 | ATUALIZADO 12:26
EDUCAÇÃO
CEZAR ALVES
17/02/2020 09:29
Atualizado
17/02/2020 15:27

A história da jovem que se formou em fisioterapia para ajudar o amigo tetraplégico

A+   A-  
Conheça a trajetória de Samara Elânia da Costa, residente na Maísa, para se graduar em fisioterapia e técnica de enfermagem pela UNP, em Mossoró; Na festa de formatura, homenageou os garçons, seus colegas de trabalho enquanto estudava.
Imagem 1 -  A história da jovem que se formou em fisioterapia para ajudar o amigo tetraplégico; Conheça a trajetória de Samara Elânia da Costa, residente na Maísa, para se graduar em fisioterapia e técnica de enfermagem pela UNP, em Mossoró; Na festa de formatura, homenageou os garçons, seus colegas de trabalho enquanto estudava.
A história da jovem que se formou em fisioterapia para ajudar o amigo tetraplégico; Conheça a trajetória de Samara Elânia da Costa, residente na Maísa, para se graduar em fisioterapia e técnica de enfermagem pela UNP, em Mossoró; Na festa de formatura, homenageou os garçons, seus colegas de trabalho enquanto estudava.
FOTO: CEDIDA

Em 2015, a jovem universitária caraubense, Samara Elânia da Costa, do Curso de História da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), decidiu mudar radicalmente o seu destino. Fincou o pé que queria se graduar em Fisioterapia para amenizar a dor de um amigo.

Samara vive com os pais na Vila Maisa, onde vieram morar há alguns anos. O pai, José Maria da Costa, trabalha fazendo copas de árvores e limpando quintais de casas. A mãe, Maria Nubia da Costa, ficou impossibilitada de trabalhar na lida rural após um acidente de carroça.

O motivo da decisão de abandonar o curso de História na UERN e ingressar no curso de Fisioterapia na UNP foi o fato de ter conhecido, o jovem Deocléciano Ferreira, tetraplégico, prostrado numa cama de enfermaria do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM).

“Eu entendi naquele momento a importância da fisioterapia, para reduzir o sofrimento de quem está nestas condições, fazendo tratamento de saúde. A fisioterapia ameniza a dor, contribui com o fortalecimento dos músculos, mantém o corpo ativo”, explica.

Aos 19 anos, Samara fez a prova do ENEM, conseguiu uma ótima nota, que lhe garantiu bolsa de 100% para o Curso de Fisioterapia na UNP, onde se matriculou no horário da manhã. Seus pais, porém, não tinham transporte e nem como custear para ela ir e vir.

Vinha da Maisa para Mossoró de carona, no horário da manhã (a rainha das caronas) e ficava à tarde na UNP para só voltar para casa no ônibus dos estudantes por volta de meia noite. Resolveu aproveitar o horário da tarde para fazer um Técnico de Enfermagem, na própria UNP.

A irmã, Sandra Costa (anjo da guarda), que também era garçonete juntamente com seu namorado Rhobinho, é quem narra melhor a luta diária de Samara.

“Agora sim! Dra Samara Elânia

Nossa ‘rainha das caronas’, era dessa forma que vc conseguia chegar à Universidade. E os bancos dela que muitas vezes te serviu de cama pois não tinha como voltar para casa quando a aula acabava. E as pipocas que em muitos dias eram seu almoço e janta. E na fase mais difícil (doente, tumor ósseo, braço imobilizado) que com lágrimas nos olhos precisava ir para faculdade para não correr o risco de perder a sua bolsa INTEGRAL.

Nossa, foram tantos momentos difíceis, se fosse listar todos eles não dariam conta. Muitos não fazem idéia de tudo que você passou para chegar até aqui. Porém Deus sempre esteve cuidando de tudo, sempre enxugou suas lágrimas e deu forças para lutar, e além disso te deu a missão de ser a pessoa mais simples e divertida da turma. Como perceber tantos sacrifícios em meio a tantos sorrisos que você consegue arrancar?

Sabe que sempre estive e estarei ao seu lado, pois enquanto vida eu tiver você nunca estará sozinha.

Enfim, me faltam palavras para descrever tudo que esse momento pede, só sei que és merecedora de cada conquista.

O sonho é nosso e a vitória também!

Parabéns Guerreira!

Te Amo Muito

O Sonho Continua...”

Quando concluiu o Curso de Técnica de Enfermagem, fez concurso para a Secretaria Estadual de Saúde (SESAP) e passou a trabalhar no HRTM.

“Sempre gostei muito de trabalhar na área de saúde, ajudando as pessoas”, revela Samara Elânia. Mas o foco é fisioterapia.

Neste sábado, dia 15, Samara Elânia teve sua festa de formatura em Fisioterapia no Garbos, mesmo local onde por muitas noites trabalhou como garçonete, para ajudar nas despesas do dia a dia. Inclusive, ela fez uma belíssima homenagem aos seus companheiros garçons.


"Gostaria de chamar a atenção de todos que estão aqui nessa noite, em especial aos garçons, essa classe tão importante e que sem eles essa festa não seria possível. Pena que muitas vezes passa despercebida, a todos os garçons, o meu muito Obrigada!.

Há quase 5 anos atrás eu também fazia parte dessa equipe. E a cada baile de formatura era um turbilhão de sentimentos.

Nesse momento eu fazia questão de ficar pertinho da escada, vibrando e me emocionando com cada descida.

Sempre sonhei com o meu dia. Com esse dia! E hoje é a grande realização do meu sonho.

Então é isso, se vocês têm um sonho não desista, lute e trabalhe por ele, pois Deus cuida de cada detalhe."

A Vitória não é só minha, é nossa!

O Sonho Continua.”

Durante esta trajetória de sofrimento e provações, Samara Elânia teve outra perda. O amigo Deoclésio Ferreira, o qual pretendia ajudar a amenizar as dores após se formar em Fisioterapia, não resistiu. Mas ela não desistiu. Outros precisam de ajuda.


Notas

Brinds

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário