08 ABR 2020 | ATUALIZADO 11:40
SAÚDE
17/02/2020 15:55
Atualizado
17/02/2020 15:55

Carnaval: especialista alerta sobre cuidados com infecções durante a folia

A+   A-  
Curtir a festa é muito bom, mas é preciso ter responsabilidade e ficar atento aos riscos das infecções sexualmente transmissíveis. A camisinha é a única forma de bloqueio da maior parte das doenças, sendo essencial o uso para afastar qualquer risco de dor de cabeça após a festa.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

Com o Carnaval se aproximando é muito comum que se queira curtir, mas é preciso ter responsabilidade e ficar atento aos riscos das infecções sexualmente transmissíveis.

A camisinha é a única forma de bloqueio da maior parte das doenças, sendo essencial o uso, para afastar qualquer risco de dor de cabeça após a folia.

O papiloma vírus humano (HPV) é responsável por 95% dos casos de câncer de colo de útero. No entanto, o que que muitas pessoas não sabem é que essa doença também pode afetar os homens, desenvolvendo o câncer de pênis, além dos de cavidade oral e canal anal.

''O vírus pode permanecer no organismo por muito tempo, porém, em pessoas com imunidade baixa, pode ocorrer lesões e evoluir para um tumor no órgão'', alertou o urologista, Dr. Éddio Dantas, ressaltando também o perigo do vírus do HIV, que avança cada vez mais na faixa etária de 20 a 24 anos.

“Para evitar a transmissão do vírus do HIV, é recomendado o uso de preservativo durante as relações sexuais, além da utilização de seringas e agulhas descartáveis e o uso de luvas para manipular feridas e líquidos corporais”, comentou o urologista.

HEPATITE B

A hepatite B é transmitida sexualmente, e também por transfusão de sangue. A doença pode ser transmitida pelo compartilhamento de material para uso de drogas. Para prevenção contra a hepatite B, há vacinação gratuita e disponível na rede pública.

SÍFILIS

É transmitida por relações sexuais ou pode ser passada da gestante para o bebê. Os sintomas são feridas na região genital (na fase primária) e manchas no corpo que sugerem uma alergia (na fase secundária). O tratamento da doença é gratuito na rede pública, feito com penicilina. A sífilis pode levar à má-formação do feto, surdez, cegueira e deficiência mental.

GONORREIA

É transmitida através do contato sexual de uma pessoa infectada. O sintoma mais comum é a presença de corrimento na região genital, mas a infecção pode causar dor ou ardor ao urinar, dor ou sangramento na relação sexual e, nos homens, dor nos testículos. A maioria das mulheres infectadas não apresenta sintomas. O tratamento é com antibiótico e deve ser estendido ao parceiro.

HERPES GENITAL

Transmitido pela relação sexual com uma pessoa infectada, o vírus do herpes causa pequenas bolhas e lesões dolorosas na região genital masculina e feminina. As feridas podem acompanhar ardor, coceira, dor ao urinar e mesmo febre, e os sintomas podem reaparecer ou se prolongar quando a imunidade está baixa.

MONONUCLEOSE

A mononucleose é uma doença infecciosa causada pelo vírus Epstein-Barr, da família do vírus do herpes. Geralmente acontece em jovens entre 15 e 25 anos. A mononucleose é transmitida pelo contato íntimo de salivas, por isso também é conhecida por doença do beijo. O vírus também pode ser transmitido pelo contato com tosses e espirros de pessoas contaminadas.


Notas

Brinds

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário