02 JUN 2020 | ATUALIZADO 11:11
SAÚDE
13/03/2020 12:25
Atualizado
13/03/2020 12:28

Sesap anuncia medidas adotadas para prevenção ao coronavírus no RN

A+   A-  
O secretário da saúde, Cripriano Maia, reuniu a imprensa nesta sexta-feira (13) para falar sobre o caso. Ele lembrou que a confirmação do caso demanda um novo tipo de atenção, com responsabilidade, cuidado e união entre os serviços para obter os melhores resultados e evitar óbitos.
Imagem 1 -  O secretário da saúde, Cripriano Maia, reuniu a imprensa nesta sexta-feira (13) para falar sobre as medidas tomadas após a confirmação do primeiro caso de coronavírus no estado. Ele lembrou que a confirmação do caso demanda um novo tipo de atenção, com responsabilidade, cuidado e união entre os serviços para obter os melhores resultados e evitar óbitos.
O secretário da saúde, Cripriano Maia, reuniu a imprensa nesta sexta-feira (13) para falar sobre as medidas tomadas após a confirmação do primeiro caso de coronavírus no estado. Ele lembrou que a confirmação do caso demanda um novo tipo de atenção, com responsabilidade, cuidado e união entre os serviços para obter os melhores resultados e evitar óbitos.
FOTO: CEDIDA

“A história natural da doença está se construindo ao vivo, em menos de três meses”. A afirmação do secretário estadual da Saúde, Cipriano Maia, foi feita durante entrevista concedida à imprensa, na manhã desta sexta-feira (13), para tratar das medidas adotadas após a confirmação do primeiro caso de coronavírus (Covid-19) no Rio Grande do Norte.

A paciente teve o diagnóstico confirmado pelo Instituto Evandro Chagas, no Pará, referência nacional para os exames do Covid-19, e está em isolamento domiciliar em Natal, seguindo as recomendações preconizadas pelo Ministério da Saúde.

A mulher de 24 anos apresentou os sintomas durante viagem à Europa, onde esteve na França, Itália e Áustria. Deu entrada no Hospital Giselda Trigueiro no dia 1º de março com febre, tosse seca, obstrução nasal, dores no corpo e discreto desconforto respiratório.

Após dois dias de internação em isolamento, está em casa, sem sintomas. Como medida de prevenção, outras 17 pessoas que viajaram em assentos próximos vão começar a ser monitoradas.

“No recebimento de um caso suspeito, de imediato os serviços de saúde que acolhem o paciente devem isolá-lo e adotar todas as medidas de protocolo assistencial, fazendo a coleta da amostra e encaminhando para o Laboratório Central, em Natal. A notificação deve ser formalizada pelo link disponibilizado pelo Ministério da Saúde e a partir disso todos os processos de verificação de datas de viagem, início de sintomas, percurso desde o retorno da viagem até o adoecimento são feitos para que se consiga trilhar a lista de pessoas que entraram em contato com o paciente”, explicou a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi.

O secretário Cipriano Maia lembrou que a confirmação do caso demanda um novo tipo de atenção, com responsabilidade, cuidado e união entre os serviços para obter os melhores resultados e evitar óbitos.

“Não há recomendação para suspender atividades regulares, como escolas e pequenos grupos de turismo, mas de imediato é recomendada a suspensão de atividades de massa com grande número de pessoas”.

Ele informou que será discutida com o Governo do Estado a emissão de um decreto que recomende o cancelamento de eventos de massa a partir de 100 pessoas. “É a medida correta com base nas recomendações que temos hoje”.

Até essa sexta-feira, o RN está com 17 casos classificados como suspeitos, para os quais foram adotados os procedimentos de investigação epidemiológica e coletadas as amostras, que estão sendo analisadas pelo Instituto Evandro Chagas, no Pará.

O infectologista André Prudente afirmou que não há motivo para pânico, e lembrou que o exame precisa ser feito apenas por quem apresenta sintomas. “É um exame caro e quem não apresenta sintomas não deve fazer sem necessidade pois é caro e finito, assim quem apresenta sintomas vai acabar sem kit para diagnóstico”.

Ele ressaltou que pessoas com febre, sintomas respiratórios e histórico de viagem ao exterior devem procurar os serviços de saúde.

A gestão da Sesap está mobilizada em torno da infecção pelo novo coronavírus desde o mês de janeiro, quando foi reativado o Comitê de Emergências em Saúde Pública.

O Plano de Contingência foi publicado em 10 de fevereiro e vem sendo atualizado de acordo com a evolução epidemiológica da doença. As ações são articuladas entre a gestão estadual e municipal.

A rede estadual de saúde contará com dez hospitais de referência, para onde devem ser encaminhados os pacientes com necessidade de internação.

Os profissionais da rede básica de saúde, hospitais, maternidades e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estão capacitados para adotar os protocolos de atendimento a pessoas que possam se enquadrar como suspeitos de contaminação pelo Covid-19.

O secretário de Saúde de Natal, George Antunes, informou que a SMS/Natal qualificou mais de mil profissionais e está tomando medidas para qualificar a atenção primária. “Cinco unidades básicas nos distritos sanitários abrirão em horário estendido, e os equipamentos de proteção individual estão sendo distribuídos nas UPAs”, afirmou.

HOSPITAIS ESTADUAIS DE REFERÊNCIA NO RN

Hospital Giselda Trigueiro, Hospital Pediátrico Maria Alice Fernandes, Hospital José Pedro Bezerra (Santa Catarina) e Hospital Coronel Pedro Germano, em Natal; Hospital Regional Tarcísio Maia e Hospital Rafael Fernandes, em Mossoró; Hospital Dr. Mariano Coelho, em Currais Novos, Hospital Regional Cleodon Carlos de Andrade, em Pau dos Ferros, Hospital Telecila Freitas Fontes, em Caicó, e Hospital Regional Deoclécio Marques, em Parnamirim.


Notas

Compra Notebook

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário