02 JUN 2020 | ATUALIZADO 10:25
MOSSORÓ
02/04/2020 09:38
Atualizado
02/04/2020 09:42

Sindicato denuncia descaso da Prefeitura de Mossoró com profissionais da saúde

A+   A-  
De acordo com a presidente do Sindiserpum, Marleide Cunha, o sindicato já recebeu diversas denúncias informando que técnicos de enfermagem, agentes de saúde e demais profissionais estão tendo que comprar, com o próprio dinheiro, os materiais necessários para proteção contra o coronavírus, visto que a prefeitura não os está fornecendo ou está fornecendo de forma ineficiente. O sindicato vai acionar a justiça sobre o problema.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (Sindiserpum), Marleide Cunha, diz que a Prefeitura de Mossoró não está cuidando adequadamente da proteção dos profissionais de saúde.

Marleide diz que o município não está oferecendo materiais de proteção individual para que esses profissionais possam se proteger contra o coronavírus e ainda está negando a eles a possibilidades de fazerem testes para saber se adquiriram a doença.

“Na UPA do Belo Horizonte, nós sabemos que tivemos dois casos confirmados de Covid-19 e os profissionais que trabalham lá, que tiveram contato com essas pessoas que testaram positivo, está sendo negado a esses profissionais o direito de fazer o teste. Isso é um crime. Olhe como é que fica o psicológicos desses técnicos de enfermagem, enfermeiros, pessoas que trabalham lá no cotidiano, que sabem que os colegas contraíram o vírus, sabem que eles podem também ter o vírus e não conseguem o direito de fazer o teste pra saber se está levando o vírus pra casa, ou não, pra saber se está passando o vírus para um paciente, ou não. Isso é muito triste, é revoltante. A prefeitura não tem o direito de tomar esse tipo de atitude”, disse.

O sindicato já recebeu diversas denúncias informando que técnicos de enfermagem, agentes de saúde e demais profissionais estão tendo que comprar, com o próprio dinheiro, os materiais necessários para proteção, visto que a prefeitura não os está fornecendo.

De acordo com as denúncias, os agentes de saúde, por exemplo, continuam fazendo o trabalho de visitação às casas dos mossoroenses, mas não receberam nem álcool gel para fazer assepsia das mãos antes e após as visitas.

“Hoje eu falei com alguns agentes de endemias e eles disseram que não tem. Desde o começo da pandemia, nunca foi dado a eles álcool gel pra eles poderem se proteger e proteger as pessoas que estão atendendo”, contou Marleide.

A professora diz que os profissionais estão pedindo socorro ao sindicato, porque o medo da doença é constante, principalmente para eles que estão todos os dias em contato direto com pessoas suspeitas ou com diagnóstico positivo.

“Esses profissionais estão pedindo ao sindicado ‘façam alguma coisa!’. Então eu estou fazendo aqui, dizendo a prefeitura de Mossoró que protejam esses profissionais, porque eles estão lá, na linha de frente. E dizer a prefeitura de Mossoró que, se já está entregando EPIs, ainda é insuficiente. Tem muita gente que não recebeu nada e continua atendendo, continua indo na casa das pessoas e continua com a pressão psicológica”, disse Marleide.

Marleide disse que o sindicato vai acionar a justiça para que esta resolva a situação.


Notas

Compra Notebook

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário