28 SET 2020 | ATUALIZADO 18:25
SAÚDE
10/09/2020 17:36
Atualizado
10/09/2020 17:36

‘É preciso manter a vigilância e o cuidado para a proteção da vida”, diz Cipriano

A+   A-  
O secretário de saúde do RN reformou a importância de a população continuar mantendo os cuidados de prevenção à covid-19; Nas últimas 24h o Estado registrou 4 óbitos em decorrência da doença, totalizando 2.302 desde o início da pandemia. Os casos confirmados somam 64.519
Imagem 1 -
FOTO: SANDRO MENEZES

Nesta quinta-feira (10) o secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, enfatizando que a pandemia continua e que é preciso manter os cuidados contra a Covid-19.

“Chamamos a atenção de toda a sociedade para a importância de manter a vigilância e o cuidado para a proteção da vida”, disse.

Segundo os dados epidemiológicos da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) o isolamento social está em 36% e a taxa de transmissibilidade é de 1. Três Regiões do Rio Grande do Norte apresentam a taxa acima de 1: Alto Oeste (1,09), Oeste (1,12) e Seridó (1,04).

Os casos confirmados somam 64.519, os suspeitos chegam a 28.371 e os descartados, 122.555. Em relação aos óbitos, já foram registrados 2.302 (4 nas últimas 24h, um no dia 07 e dois no dia 08); há 250 mortes em investigação.

Ainda de acordo com os dados apresentados, a taxa de ocupação dos leitos de UTI na rede pública é de 49% com 248 pessoas internadas na rede pública e privada, em leitos críticos e clínicos, de saúde no Estado.

A ocupação de leitos está concentrada, por região, no Oeste (51%), Alto Oeste e Mossoró (50%), Metropolitana de Natal (48%), Mato Grande (33%) e Potengi-Trairi (18%). Na região Agreste Sul, todos os leitos covid estão disponíveis.

"Tivemos um crescimento no número de leitos ocupados. Precisamos evitar aglomerações, usar corretamente a máscara e manter o distanciamento social. A atitude de cada pessoa contribui para salvar vidas e evitar mortes”, enfatizou o secretário.

Ainda de acordo com Cipriano, “há diálogo com os municípios sobre as ações de reforço à atenção básica de saúde para detectar novos casos bem no início para identificação e monitoramento os casos com ações de vigilância”.


Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário