28 SET 2020 | ATUALIZADO 18:25
POLÍCIA
12/09/2020 10:28
Atualizado
12/09/2020 10:28

Assaltante que aguardava juri por homicídio é morto em Mossoró

A+   A-  
Além de Diego Tálison, que morreu no local, os atiradores também balearam o cunhado dele Francisco Nascimento, que foi socorrido pelo SAMU para o Hospital Regional Tarcísio Maia
Imagem 1 -  Além de Diego Tálison, que morreu no local, os atiradores também balearam o cunhado dele Francisco Nascimento, que foi socorrido pelo SAMU para o Hospital Regional Tarcísio Maia
Além de Diego Tálison, que morreu no local, os atiradores também balearam o cunhado dele Francisco Nascimento, que foi socorrido pelo SAMU para o Hospital Regional Tarcísio Maia

Aguardando julgamento por assassinado (veja abaixo) ocorrido em 2013, Diego Tálison Bezerra de Abreu, de 26 anos, foi executado a tiros na noite desta sexta-feira, 11, no bairro Aeroporto II, em Mossoró-RN.

Na ocasião do ataque, a vítima estava com o cunhado Francisco do Nascimento, o Junior (dono da casa), que terminou alvejado nas pernas, braços e socorrido com vida para o hospital Regional Tarcísio Maia pelo SAMU.

A vítima, segundo levantamento feito pela Polícia, é tido como trabalhoso. Respondia por assalto e havia sido absolvido do tiro no rosto de um policial militar de transito no bairro Boa Vista, no ano de 2018.

Veja mais.

Júri inocenta assaltante que atirou no olho do PM durante abordagem

Deveria ter sido levado a julgamento popular por corrupção de menor acusado de matar o garoto Francisco de Assis Bezerra de Oliveira, o Roberto Carlos, no ano de 2013, no bairro Belo Horizonte, em Mossoró. 

"No dia 08 de maio de 2013, por volta das 20h00min, na rua Brasiliano de Jesus, bairro Belo Horizonte, nesta urbe, o denunciado DIEGO TALISON DE ABREU, facilitou a corrupção do adolescente Francisco de Assis Bezerra, conhecido como "Boró" ou "Júnior", matando em comum acordo com o adolescente infrator, por motivo fútil e mediante recurso que dificultou as chances de defesa, João Neto de Oliveira, conhecido por "Roberto Carlos", utilizado para tanto, uma arma de fogo tipo revólver" (este trecho é de um processo público).

O trecho acima é da pronúncia do juiz Vagnos Kelly, da Primeira Vara Criminal de Mossoró. Este júri deveria ser agendado a partir de outubro, quando o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte quer retomar as sessões de julgamento do Júri Popular.

O crime.

O site O Câmera apurou Diego e o cunhado Junior estavam na calçada quando os assassinos chegaram numa moto e já foram atirando. Após executar Diego, invadiram a residência e atiraram nas pernas e braços de Junior.

Diante das características, os agentes civis que estiveram no local acreditam que o alvo do ataque era de fato Diego e não Junior, que foi levado para o HRTM. O corpo foi removido para exames no ITEP e o caso deve ser investigado pela Divisão de Homicídios de Mossoró.

Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário