17 JUN 2024 | ATUALIZADO 17:27
NACIONAL
Leandro Mazzini e Walmor Parente
01/03/2022 14:25
Atualizado
02/03/2022 08:04

Baixo, médio ou alto clero, todos os políticos se transvestem em ano eleitoral

A+   A-  
A Coluna Esplanada, desta terça-feira, 01 de março de 2022, assinada por Leandro Mazzini Walmor Parente, retrata, em sua abertura, o esforço dos poderosos e nem tão poderosos em Brasília para conseguir espaços e votos em seus estados. É a campanha se aproximando
Imagem 1 -  A Coluna Esplanada, desta terça-feira, 01 de março de 2022, assinada por Leandro Mazzini Walmor Parente, retrata, em sua abertura, o esforço dos poderosos e nem tão poderosos em Brasília para conseguir espaços e votos em seus estados. É a campanha se aproximando
A Coluna Esplanada, desta terça-feira, 01 de março de 2022, assinada por Leandro Mazzini Walmor Parente, retrata, em sua abertura, o esforço dos poderosos e nem tão poderosos em Brasília para conseguir espaços e votos em seus estados. É a campanha se aproximando
Foto: Ascom

Povo de Sucupira

Baixo, médio ou alto clero, todos os políticos se transvestem em ano eleitoral. Acostumado com grandes articulações e temas nacionais, o presidente da Câmara,  Arthur Lira (PL-AL), tem deixado o conforto dos palácios e da residência oficial à beira do Lago Paranoá, região nobre de Brasília, para colocar o pé no barro. Dias atrás, o deputado esteve em Teotônio Vilela, no Povoado de Sucupira, entregando tratores e implementos para os agricultores familiares.


Em família

Os maquinários agrícolas estampavam a marca Codevasf, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba, onde o primo de Lira, João José Pereira Filho, dá as cartas.


Bem-Amado

Joãozinho, como é chamado, mantém bem lubrificada a engrenagem que beneficia prefeitos aliados com verbas milionárias do orçamento secreto. Qualquer semelhança com a ficção – O Bem-Amado, de Dias Gomes – não é mera coincidência.


Desembarque

A janela partidária, que terá início amanhã, poderá implodir a base do governo na Câmara. Bolsonaro e ministros intensificaram o assédio para que deputados migrem para o PL e outros partidos – como Republicanos e PSC – ameaçam o desembarque.


É guerra

Os senadores Flávio Bolsonaro (PL-RJ) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) declararam guerra. O filho 01 do presidente Jair Bolsonaro pediu ao inoperante Conselho de Ética

abertura de processo contra Randolfe por “imputações falsas e ameaças” ao procurador-geral da República, Augusto Aras.


Revide

Randolfe revidou o ataque: pediu à PGR investigação contra Flávio pela suspeita de ter usado de sua influência na Receita Federal para tentar invalidar provas do processo das chamadas rachadinhas. Os parlamentares não foram – ainda – às vias de fato, mas trocam olhares raivosos quando se cruzam no plenário, comissões e corredores do Senado.


Ampulheta

O ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria-Geral da Presidência, tem 30 dias para apresentar à Comissão de Fiscalização do Senado os extratos dos gastos da Presidência da República com cartão corporativo. Se não responder no prazo, fica sujeito a denúncia por crime de responsabilidade.


Máscara

O vice-presidente Hamilton Mourão trocou a tradicional máscara do Flamengo pela do Rio Grande do Sul. No lugar da paixão, a eleição: ele concorrerá ao Senado pelo estado gaúcho.


Denúncias

O presidente Jair Bolsonaro (PL) já é alvo de pelo menos sete denúncias por suposta campanha antecipada. A mais recente foi protocolada por Samanda Alves, assessora de Fátima Bezerra (PT), governadora do Rio Grande do Norte. Ela pede investigação por uso de dinheiro público nos “comícios” de Bolsonaro na cidade de Piranhas (RN).


Regabofe

Bem antes do conflito no Leste Europeu e da visita de Bolsonaro a Putin, a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, não perdia um regabofe na embaixada da Ucrânia, em bairro nobre de Brasília. Era tão “de casa” que, em agosto de 2021, participou, em Kiev, de um encontro que reuniu esposas de chefes de estado.


Estilhaços

O ataque da Rússia à Ucrânia e o anúncio de sanções econômicas contra Putin têm repercussão direta aqui no Brasil. Para lá mandamos grandes volumes de soja e carne. De lá dependemos de trigo e adubo, por exemplo. Ou seja, menos divisas, pão mais caro e falta de insumos para plantar.


Varas

O PSB na Câmara condena o fechamento de diversas Varas da Justiça do Trabalho pelo país. Somente no Maranhão foram fechadas três estruturas, que atendem 25 cidades. O líder do partido, Bira do Pindaré, afirma que “o recorte é apenas uma amostra de que a Justiça Trabalhista está sendo desmantelada Brasil afora”.


ESPLANADEIRA

# Toda quarta-feira acontece Feira do Pequeno Produtor no Fashion Mall (RJ).

# UNIASSELVI fornece navegação gratuita no aplicativo durante uso. # Sem

Parar lança nova campanha Cashback no APP. # Remederi abre vagas de

emprego para áreas de marketing, logística e suporte ao cliente. # Oliver Press

recebe Yahoo Brasil como novo cliente.

Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário