30 JUN 2022 | ATUALIZADO 18:23
POLÍCIA
17/05/2022 14:27
Atualizado
17/05/2022 14:34

"Estou chocada, triste, sem acreditar", diz prefeita de Martins sobre a morte da juíza Mônica

A+   A-  
A juíza Mônica foi encontrada morta pelo marido João Oliveira, que é juiz do TJPA, dentro do carro, em Belém. João Oliveira levou o carro para a delegacia de Homicídios de Belém, ao invés de preservar a cena do crime. No RN, o presidente do TJRN e a prefeita de Martins, lamentaram a partida prematura da juíza de 47 anos. O mesmo na cidade de Barra de Santana, na paraíba, a terra natal da magistrada do TJRN desde 2016.
Imagem 1 -  A juíza Mônica foi encontrada morta pelo marido João Oliveira, que é juiz do TJPA, dentro do carro, em Belém. João Oliveira levou o carro para a delegacia de Homicídios de Belém, ao invés de preservar a cena do crime. No RN, o presidente do TJRN e a prefeita de Prefeitura de Martins, lamentaram a partida prematura da juíza  de 47 anos. O mesmo na cidade de Barra de Santana, na paraíba, a terra natal da magistrada do TJRN desde 2016.
A juíza Mônica foi encontrada morta pelo marido João Oliveira, que é juiz do TJPA, dentro do carro, em Belém. João Oliveira levou o carro para a delegacia de Homicídios de Belém, ao invés de preservar a cena do crime. No RN, o presidente do TJRN e a prefeita de Prefeitura de Martins, lamentaram a partida prematura da juíza de 47 anos. O mesmo na cidade de Barra de Santana, na paraíba, a terra natal da magistrada do TJRN desde 2016.

A juíza Mônica Maria Andrade Figueiredo de Oliveira, de 47 anos, da Comarca de Martins, foi encontrada morta de ferimento de bala dentro de um carro em Belém, no Estado do Pará/PA.

Juíza é encontrada morta dentro de veículo em Belém; Divisão de Homicídios investiga o caso | Pará | G1 (globo.com)

O corpo de Mônica Andrade, que é natural da Paraíba e trabalhava no TJRN, foi encontrada na manhã desta terça, 17, pelo marido, o juiz João Augusto Figueiredo de Oliveira Junior, do TJPA.

João Augusto, após encontrar a mulher morta no carro (versão dele), ao invés de preservar o local do crime, levou o veículo com o corpo da mulher para a Divisão de Homicídios de Belém.

O caso será investigado pela Divisão de Homicídios de Belém. A administração prédio onde a juíza foi encontrada, informou que o casal não morava no local e afirmou que o crime não ocorreu lá.

Na paraíba, os familiares e amigos divulgaram notas nas redes sociais lamentando a partida prematura da juíza.

No RN, o presidente do TJRN, Vivaldo Pinheiro, divulgou nota: com um breve histórico da magistrada e lamentando a morte da magistrada Mônica Oliveira.

Em Martins, a prefeita Maria José disse que a partida da juíza da comarca, diretora do fórum, deixou a população muito triste. Ela decretou luto de três dias no município.

“Uma juíza centrada, atenciosa, com discernimento e emitia decisões com muita inteligência. Estou chocada, triste, sem acreditar com a morte dela”, lamenta a prefeita Maria José.

Natural de Barra de Santana, Mônica Maria Andrade era dos quadros do TJRN desde 2016. Além de Titular na Comarca de Martins, também era diretora do Fórum.


Notas

UNP 27 de junho de 2022

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário