30 JUN 2022 | ATUALIZADO 18:23
MOSSORÓ
WILLIAM ROBSON
26/05/2022 09:33
Atualizado
26/05/2022 09:33

Referências na cantoria, Geraldo Amancio e Guilherme Nobre se encontram em show neste sábado

A+   A-  
Será um encontro de gerações e, ao mesmo tempo, de influências musicais variadas dentro do estilo, o que tornará o evento ainda mais rico, neste sábado, em Carlos Bar (bairro Boa Vista), às 19h
Imagem 1 -

Entrando no clima da cultura popular, que vai tomar conta do mês de junho em Mossoró, duas das maiores referências da cantoria nordestina vão se encontrar na cidade. Guilherme Nobre e Geraldo Amâncio desembarcam em Carlos Bar (bairro Boa Vista) neste sábado, a partir das 19h. Será um encontro de gerações e, ao mesmo tempo, de influências musicais variadas dentro do estilo, o que tornará o evento ainda mais rico em termos de repertório e desenvoltura dos cantadores.

Por exemplo, Guilherme Nobre, que também é repentista, compositor, cordelista e palestrante. Desde os 14 anos de idade, está inserido no estilo, sempre baseado em nomes como o próprio Geraldo Amancio, Moacir Laurentino, Antonio Jocélio e muitos outros. Ou seja, Guilherme vai dividir o palco com uma de suas maiores influências.

Vale dizer que Guilherme também é professor e o cordel é sua principal lição nas escolas. Ministrou palestras sobre cantoria na; Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, Centro Cultural do Ceará, Escola de Ensino Profissional Eusébio de Queiroz e de mais de 20 escolas onde já conduziu oficinas de literatura de cordel. Conduziu formações de professores para o uso do cordel em sala de aula. Recentemente Ministrou aulas sobre poesia popular em 3 Escolas de Ensino Médio do Estado do Ceará.

O cearense Geraldo Amâncio, por sua vez, conta que começou a se interessar pela cantoria ainda na infância e pré-adolescência. “Frequentei a escola pela primeira vez aos 12 anos de idade, estudando até o terceiro ano primário tendo aprendido a ler aos 15 anos, tempo que já fazia minhas próprias rimas”, explicou. “Recebia influência dos artistas campesinos de sua infância e adolescência, os cantadores Pedro Bandeira e João Alexandre, dentre outros que, na década de 1960, mantinha programas de cantoria na rádio Educador do Crato região do Cariri”.

Assim, começou com acompanhamento de viola em 1966. Participou de centenas de festivais em todo o país, e classificou-se mais de 150 vezes em primeiro lugar. Organizou festivais internacionais de repentistas e trovadores, além do festival Patativa do Assaré. É autor de três antologias sobre cantoria em parceria com o poeta Vanderley Pareira. Gravou 15 CDs ao longo da carreira, além de ter publicado cordéis em livros. Apresentou o programa dominical “Ao som da viola”, na TV Diário, em Fortaleza (CE).

Portanto, a dupla promete um show de alto nível neste final de semana. Será a oportunidade de encontrar estilos distintos na cantoria, gestadas a partir de influências clássicas da cultura popular.  O evento não vai cobrar ingresso, nem mesas. Mas, vai contar com a contribuição dos presentes durante a apresentação.

Notas

UNP 27 de junho de 2022

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário