12 AGO 2022 | ATUALIZADO 15:37
MOSSORÓ
Por Valéria Lima
03/12/2015 12:58
Atualizado
12/12/2018 13:55

Profissionais da Saúde discutem protocolo de combate ao Zica Vírus em Mossoró

A+   A-  
Reunião com profissionais da saúde será realizada na noite desta quinta (03). Desde ontem, o RN está em estado de emergência para o combate ao mosquito aedes aegypti, transmissor do Zica Virus
Imagem 1 -  Profissionais da Saúde discutem protocolo de combate ao Zica Vírus em Mossoró
Reprodução

As atenções dos profissionais da saúde no Brasil estão voltadas para o surto recente de microcefalia em várias regiões do país, afetando principalmente o Nordeste.

Em Mossoró, já se contabiliza 11 casos da doença, que segundo confirmou o Ministério de Saúde no último domingo (29), é transmitido pelo Zica Vírus.
Diante da situação, a doença vem causando inúmeras dúvidas nas gestantes. O RN registra atualmente 79 casos de microcefalia.

Nesta quarta-feira (02), o governador Robinson Faria decretou estado de emergência para o combate ao mosquito transmissor Aedes Aegypti. O protocolo para estudo e combate a microcefalia ainda está sendo discutido pelos órgãos competentes do Estado.

Em Mossoró, uma reunião, a ser realizada nesta quinta-feira (03), na Faculdade de Medicina na UERN, discutirá um plano de ações para o combate ao vírus no município.  

O Ministério da Saúde e o Secretaria Estadual também estão trabalhando na elaboração do protocolo de combate ao vírus. O Estado de Pernambuco divulgou hoje um novo protocolo para o combate a microcefalia – que deve ser tomado como base para a elaboração do protocolo de cada Estado. Pernambuco é o Estado com maior registro da doença, com 646 casos.

Os profissionais da saúde afirmam que há muitas respostas a serem respondidas, diante da incógnita, em que se apresenta o Zica Vírus. Fato que, gera ainda mais dúvidas nas grávidas. Fato, que também motivou o ministro da saúde, a sugerir às mulheres que não engravidassem no momento.

É o caso da jornalista e empresária, Lia Castro, que está no início do gravidez, e que contraiu o Zica Vírus em março deste ano. “Desde que surgiu o boato de que a microcefalia tinha alguma relação com o vírus, pesquisei tudo o que eu podia, e perguntei a minha médica, e desde então, tenho tomado as devidas precauções”, afirma.

O protocolo de combate ao mosquito do Estado e de Mossoró deve ser elaborado ainda nesta semana. Ações de prevenção e informação à população devem ser adotadas em breve. O objetivo principal é a conscientização para a não formação do mosquito, evitando assim a transmissão da doença.

 

Mossoró intensifica monitoramento dos casos de microcefalia

Profissionais da Secretaria Municipal de Saúde realizaram uma reunião, na manhã desta quinta-feira, 3, para debater e traçar estratégias de intensificação às notificações dos casos de microcefalia em Mossoró. O encontro, que aconteceu na Vigilância à saúde, também foi importante para montar uma força tarefa de prevenção e combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika vírus.

Diversos setores da Secretaria de Saúde têm trabalhado de maneira integrada para intensificar o monitoramento às notificações de casos de microcefalia, por meio dos novos protocolos do Ministério da Saúde, que preveem que as maternidades notifiquem, no momento do nascimento da criança, casos suspeitos de microcefalia para que sejam feitas investigações e acompanhamentos dos casos.

Os profissionais também articulam mutirões de atividades educativas de prevenção e combate ao mosquito. De acordo com a gerente da Vigilância à Saúde, Geizarelli Soares, este ano foram confirmados mais de 1.200 casos em Mossoró suspeitos de zika, vírus que tem relação com casos de microcefalia, segundo estudos de organizações de saúde. “Serão investigadas crianças que tenham perímetro cefálico aferido ao nascimento igual ou superior a 33 centímetros”, acrescenta.

Outro objetivo é intensificar o pré-natal na Atenção Básica. “Estamos cumprindo as orientações do Ministério da Saúde no combate ao mosquito, na investigação e no acompanhamento dos casos suspeitos. Sabemos que a microcefalia não tem cura, mas o Poder Público precisa garantir a qualidade de vida das crianças”, afirma a secretária de Saúde, Leodise Cruz.

Dados: De acordo com a última estimativa divulgada pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), foram confirmados 89 casos de microcefalia no estado, sendo 8 em Mossoró.

LEIA MAIS:

Notas

UNP 27 de junho de 2022

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário