25 FEV 2024 | ATUALIZADO 11:05
EDUCAÇÃO
ANNA PAULA BRITO
17/01/2024 12:39
Atualizado
18/01/2024 13:55

“Questão, repetição e muita disciplina”, diz mossoroense que gabaritou matemática no Enem 2023

A+   A-  
A estudante Cecília Pinheiro, de 21 anos, que obteve 958.6 pontos em matemática no Enem 2023, nota máxima na disciplina na última edição, contou que sempre foi boa em cálculo, teve uma base de formação muito sólida, mas que teve que aprimorar o tempo de resolução das questões para o exame.
Imagem 1 -  “Questão, repetição e muita disciplina”, diz mossoroense que gabaritou matemática no Enem 2023. A estudante Cecília Pinheiro, de 21 anos, que obteve 958.6 pontos em matemática no Enem 2023, nota máxima na disciplina na última edição, contou que sempre foi boa em cálculo, teve uma base de formação muito sólida, mas que teve que aprimorar o tempo de resolução das questões para o exame.
“Questão, repetição e muita disciplina”, diz mossoroense que gabaritou matemática no Enem 2023. A estudante Cecília Pinheiro, de 21 anos, que obteve 958.6 pontos em matemática no Enem 2023, nota máxima na disciplina na última edição, contou que sempre foi boa em cálculo, teve uma base de formação muito sólida, mas que teve que aprimorar o tempo de resolução das questões para o exame.
FOTO: ANNA PAULA BRITO

A nota máxima na disciplina de matemática na edição de 2023 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ficou em 958.6 pontos, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).

A estudante mossoroense Cecília Pinheiro, de 21 anos, foi umas das que gabaritou a prova e alcançou este resultado.

Veja mais: mossoroense nota mil na redação do enem 2023

Egressa do Instituto Federal do Rio Grande do Norte, a jovem contou que sempre foi boa em cálculo tendo, inclusive, gabaritado a prova de matemática do exame para ingresso no instituto, no ano de 2017.

Cecília foi aluna de matemática do professor Carlos Andrade, mais conhecido como Esquedinha, no Colégio Sagrado Coração de Maria (Colégio das Irmãs), e do professor Fagno Vale no IFRN.

No último ano, ela vinha sendo acompanhada por Hugo Gomes, no cursinho Radix, professor que também foi aluno dos outros dois professores citados, um fato que reforça a base sólida que a estudante teve na disciplina ao longo da sua formação.

No entanto, ela explicou que, além do aprendizado que teve desde o ensino fundamental, quando aprendeu a matemática básica, precisou de muita disciplina para conseguir desenvolver as questões durante o Enem.

Segundo Cecília, foi no cursinho que ela desenvolveu a habilidade de responder às questões com agilidade. “Não importa só dominar o conteúdo, você tem que dominar e responder assim… são 5 horas de prova para 90 questões, então você tem que ser ágil. Então foi isso que eu tentei, nesse último ano de cursinho, me aperfeiçoar”.

Especificamente para matemática, a estudante ainda aconselha a quem vai fazer o exame que, além de cronometrar o tempo, pratique fazendo muitas questões, simulados, listas de assuntos separados. “Questão, repetição e muita disciplina”, diz.

Apesar de ter concluído o curso técnico em edificações pelo IFRN, a jovem diz que se identifica mais com a área da saúde e agora irá tentar o curso de medicina, por meio do Sisu.

Com base nas notas dela, não apenas em matemática, o professor Hugo diz que está confiante na aprovação. Ele ainda orientou os demais estudantes que irão tentar uma vaga nas universidades por meio da seleção.

“Procurem universidade em que os pesos das áreas favoreçam sua média final. Então simulem, façam testes, usem planilhas para que vocês usem a melhor estratégia e consigam a vaga no ensino superior”.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário