25 FEV 2024 | ATUALIZADO 11:05
POLÍTICA
29/01/2024 15:43
Atualizado
29/01/2024 15:43

Isolda Dantas apresenta projeto de lei de cotas para pessoas trans e travestis

A+   A-  
O Projeto de Lei propõe a criação de cotas para pessoas trans e travestis nos concursos públicos do RN e nos cursos de graduação e pós graduação da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. “Nossas leis de cotas para pessoas negras são fundamentais para reparação histórica do povo negro no nosso Estado. Também as pessoas trans sofrem inúmeros preconceitos.", justifica Isolda Dantas, do PT.
Imagem 1 -  O Projeto de Lei propõe a criação de cotas para pessoas trans e travestis nos concursos públicos do RN e nos cursos de graduação e pós graduação da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. “Nossas leis de cotas para pessoas negras são fundamentais para reparação histórica do povo negro no nosso Estado. Também as pessoas trans sofrem inúmeros preconceitos.", justifica Isolda Dantas, do PT.
O Projeto de Lei propõe a criação de cotas para pessoas trans e travestis nos concursos públicos do RN e nos cursos de graduação e pós graduação da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. “Nossas leis de cotas para pessoas negras são fundamentais para reparação histórica do povo negro no nosso Estado. Também as pessoas trans sofrem inúmeros preconceitos.", justifica Isolda Dantas, do PT.

Hoje, dia nacional da visibilidade trans e travesti, a deputada estadual Isolda Dantas, apresenta o “projeto de lei Cotas" para a presidenta da União Estadual de Estudantes (UEE), Luh Vieira, a fim de fazer o debate com a população trans e travesti e, no retorno das atividades legislativas, trazer a pauta para o parlamento potiguar. 

O Projeto de Lei propõe a criação de cotas para pessoas trans e travestis nos concursos públicos do RN e nos cursos de graduação e pós-graduação da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. 

A deputada é autora da lei de cotas para pessoas negras nos concursos do estado do RN, e da proposta de cotas para pessoas negras nos cursos de pós-graduação da UERN. A proposta é ampliar as cotas para que as pessoas trans e travestis tenham mais oportunidades na sociedade. 

“Nossas leis de cotas para pessoas negras são fundamentais para reparação histórica do povo negro no nosso Estado. Também as pessoas trans sofrem inúmeros preconceitos. Quantas pessoas trans você conhece na universidade ou em cargos públicos?! Pela lei buscaremos essas e outras garantias na construção de um RN mais igual, agora, avançando nas questões de gênero”, diz a deputada Isolda.

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário