17 ABR 2024 | ATUALIZADO 18:23
POLÍCIA
21/02/2024 22:21
Atualizado
21/02/2024 22:33

Força-tarefa faz buscas por fugitivos na Reserva da Furna Feia e em Baraúna-RN

A+   A-  
Na Reserva nacional da Furna Feia, os policiais fizeram buscas usando helicópteros e também várias viaturas da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Penal Federal, além de Apoio da Polícia Militar (Cotar), que é a força de elite do Estado do Ceará. Na Rua Amauri Ribeiro, conhecida por Rua da Vara, em Baraúna, os policiais fizeram abordagens e circularam em prarticamente todas as ruas da região da cidade. Nesta quinta, 22, chega o reforço da Força Nacional.
Imagem 1 -  Na Reserva nacional da Furna Feia, os policiais fizeram buscas usando helicópteros e também várias viaturas da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Penal Federal, além de Apoio da Polícia Militar (Cotar), que é a força de elite do Estado do Ceará. Na Rua Amauri Ribeiro, conhecida por Rua da Vara, em Baraúna, os policiais fizeram abordagens e circularam em prarticamente todas as ruas da região da cidade. Nesta quinta, 22, chega o reforço da Força Nacional.
Na Reserva nacional da Furna Feia, os policiais fizeram buscas usando helicópteros e também várias viaturas da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Penal Federal, além de Apoio da Polícia Militar (Cotar), que é a força de elite do Estado do Ceará. Na Rua Amauri Ribeiro, conhecida por Rua da Vara, em Baraúna, os policiais fizeram abordagens e circularam em prarticamente todas as ruas da região da cidade. Nesta quinta, 22, chega o reforço da Força Nacional.

O oitavo dia de buscas aos fugitivos da Penitenciária Federal Mossoró-RN foi na Rua Amauri Ribeiro (Rua da Vara), em Baraúna-RN, e no Parque Nacional da Furna Feia. O trabalho foi executado pela Polícia Penal, Federal, militares do Ceará com apoio de helicópteros.

Também nesta quarta-feira, 21, completa exatamente uma semana que Rogério da Silva Mendonça, o Martelo, de 36 anos, e Deibson Cabral Nascimento, o Tatu, de 33, conseguiram escapar de uma Penitenciária Federal tida como de segurança máxima.

Na Rua da Vara, os policiais revistaram suspeitos, conversaram com os moradores, circularam com cerca 10 viaturas por várias ruas da região sul da cidade de Baraúna. Na ocasião das buscas, haviam várias equipes de imprensa dando cobertura.

No horário da manhã, os trabalhos dos policiais se concentrou numa região de mata fechada da Reserva Nacional da Furna Feia. Inclusive, a Força Tarefa pousou o helicóptero no assentamento Vila Nova, buscou informações sobre os acessos ao local.

A Reserva Nacional da Furna Feia é composta de uma vegetação de caatinga, que pode chegar até 5 ou 6 metros de altura. Nesta época do ano, com as variações pluviométricas, é vegetação ganha folhas e fecha, o que dificulta as buscas aos fugitivos.

A reportagem do Portal MOSSORÓ HOJE em parceria com O Sobralense, conversou com moradores de Baraúna e também da região da Serra Mossoró, a respeito das buscas. Também voltamos ao primeiro ponto que os fugitivos foram vistos, no Rancho da Caça.

Depois desta casa, os policiais encontraram uma camiseta azul e o lençol que havia sido levado da casa da localidade de Rancho da Caça. As buscas continuaram e os dois fugitivos apareceram novamente na noite de sexta-feira, 16, em Riacho Grande.

Desta casa, levaram comida e dois celulares, através dos quais, segundo uma fonte na polícia, eles teriam conversado com familiares no Acre, com alguém usando prefixo 21 e outro número de prefixo 88. Esta mesma fonte falou que dois teriam escapado do cerco.

No dia seguinte, reduziram as barreiras na RN 015, que liga Mossoró a cidade de Baraúna, região da Penitenciária Federal. O perímetro de buscas dos suspeitos aumentou para cerca de 40 quilômetros, alcançando a divisa com o Estado do Ceará.

Buscas monitoradas

A Defensoria Pública da União (DPU) e a secretaria de Atuação no Sistema Prisional, recomendaram o uso de câmeras corporais por todos os agentes policiais envolvidos nas buscas pelos dois fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró.

A recomendação foi feita em dois ofícios, enviados na terça-feira (20) ao corregedor do Presídio Federal de Mossoró, juiz federal Walter Nunes, e ao diretor interino da Penitenciária Federal de Mossoró, o policial penal Carlos Luís Vieira Pires.

O documento leva a assinatura da procuradora chefe da DPU, Rogena Ximenes, e de Letícia Torquato, da Secretaria de Atuação no Sistema Prisional. Ao todo, se o pedido foi atendido, serão necessárias mais de 500 câmeras para a Força Tarefa que está em Mossoró.

Investigação da PF

Paralelo as buscas, a Polícia Federal investiga como ocorreu precisamente a fuga de Martelo e Tatu da Penitenciária Federal de segurança máxima em Mossoró, onde ainda se encontram mais de 80 criminosos altamente perigosos, entre eles, Beira Mar.

As investigações, inclusive, já teriam chegado a alguns trabalhadores da obra de reforma no Presídio Federal, onde os presos, após escaparem das celas, conseguiram o alicate para cortar a muralha de arame farpado e fugirem na madrugada do dia 14 de fevereiro.

Reforço da Força Nacional

Nesta quinta-feira, dia 22, chega a Mossoró 100 homens da Força Nacional em 22 viaturas. Terão a UFERSA como base de apoio para suas operações em apoio aos policiais penais federais na segurança do Penitenciária Federal e também nas buscas.

O envio das tropas foi autorizado pelo ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, em Brasília. A tropa de 100 agentes, se deslocando em 22 viaturas, partiu de brasileira nesta terça-feira, 20, devendo chegar a Mossoró, nesta quinta-feira, dia 22.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário