28 MAI 2024 | ATUALIZADO 09:58
NACIONAL
COM INFORMAÇÕES DE O GLOBO
11/04/2024 15:39
Atualizado
11/04/2024 15:39

Seguimento de óleo e gás deve criar 300 mil postos de trabalho até 2030

A+   A-  
Se os investimentos no desenvolvimento das áreas já concedidas forem feitos como o previsto, o total de ocupados em petroleiras e fornecedoras de bens e serviços do primeiro elo da cadeia chegará a 911 mil em 2029, ante os 616 mil em 2023, indicam as estimativas que estão no Caderno Abespetro 2024. Segundo o estudo da Abespetro, o salário médio do setor hoje é de R$ 12,1 mil por mês, considerando todos os níveis de instrução.
Imagem 1 -  Se os investimentos no desenvolvimento das áreas já concedidas forem feitos como o previsto, o total de ocupados em petroleiras e fornecedoras de bens e serviços do primeiro elo da cadeia chegará a 911 mil em 2029, ante os 616 mil em 2023, indicam as estimativas que estão no Caderno Abespetro 2024. Segundo o estudo da Abespetro, o salário médio do setor hoje é de R$ 12,1 mil por mês, considerando todos os níveis de instrução.
Se os investimentos no desenvolvimento das áreas já concedidas forem feitos como o previsto, o total de ocupados em petroleiras e fornecedoras de bens e serviços do primeiro elo da cadeia chegará a 911 mil em 2029, ante os 616 mil em 2023, indicam as estimativas que estão no Caderno Abespetro 2024. Segundo o estudo da Abespetro, o salário médio do setor hoje é de R$ 12,1 mil por mês, considerando todos os níveis de instrução.

O setor de petróleo e gás deverá gerar 300 mil postos de trabalho, entre diretos e indiretos, nos próximos seis anos, conforme projeção da Abespetro, entidade que representa a cadeia de fornecedores das petroleiras.

Se os investimentos no desenvolvimento das áreas já concedidas forem feitos como o previsto, o total de ocupados em petroleiras e fornecedoras de bens e serviços do primeiro elo da cadeia chegará a 911mil em 2029, ante os 616 mil em 2023, indicam as estimativas que estão no Caderno Abespetro 2024, cujo lançamento será na noite de hoje, no Rio.

Enquanto a maior parte das novas vagas será para trabalhadores com nível técnico, para este ano, está em alta a busca por profissionais para trabalhar como gerentes de manutenção, de integridade de poço e desenvolvimento de negócios, revela levantamento da consultoria de recrutamento Michael Page em sua base de dados. São empregos com salário de R$ 18 mil a R$40mil.

Os dados da Abespetro mostram que as contratações já estão a pleno vapor. Ano passado, foram criadas 55 mil vagas. Segundo a Michael Page, as contratações no setor de petróleo e gás cresceram 30%no primeiro trimestre deste ano, na comparação com os três primeiros meses de 2023.

Segundo o estudo da Abespetro, o salário médio do setor hoje é de R$ 12,1 mil por mês, considerando todos os níveis de instrução.

Caroline Faccin, de 30 anos, acabou de ser contratada pela SLB, novo nome da francesa Schlumberger. Engenheira de petróleo, formada em 2022 na Faculdade Miguel Ângelo da Silva Santos (FeMASS), em Macaé, sempre quis trabalhar no ramo. “Tinha vontade de trabalhar com o petróleo desde muito pequena, pois fui uma criança que acompanhou a descoberta do pré-sal, e isso
Me fascinou muito. Fui fazer outras coisas, mas conseguir retornar, fiz engenharia, concluí e  trabalho no que sempre quis”.


Segundo Telmo Ghiorzi, presidente da Abespetro, a perspectiva de geração de empregos segue a expansão da produção de petróleo e gás no país, na esteira do desenvolvimento do pré-sal, que fascinou Caroline quando criança.

Maior produção significa mais plataformas em funcinamento e, portanto, mais
contratações de fornecedores de peças e serviços, que ampliam investimentos, como relatam as empresas. O IBP, entidade que representa as petroleiras, calcula que os investimentos da indústria, nos próximos dez anos, somarão
US$ 180 bilhões (R$ 913 bilhões, em valores de hoje).

A SLB, por exemplo, já contratou 150 profissionais este ano. Até dezembro, prevê contratar mais600, para vagas que vão de trainees, como Caroline, a trabalhadores de nível técnico e profissionais com experiência. Segundo a empresa, o principal motivo para abrir as vagas é o fato de que vem ganhando novos contratos, com destaque para pequenas e médias petroleiras.

Agora, está em curso um movimento de fusões e aquisições entre as empresas de menor porte, o que, para Ghiorzi, dá mais musculatura financeira aos investimentos e, portanto, gera empregos.

Conforme a consultoria Michael Page, os investimentos das pequenas e médias petroleiras, que focam em campos mais antigos, puxa uma demanda por gerentes de manutenção. O emprego “consiste em supervisionar e gerir atividades relacionadas à manutenção de equipamentos, instalações e sistemas utilizados na exploração, produção”, informa a consultoria, com salário de R$ 28mil a R$40mil.

Quem está contratando a pleno vapor é a franco americana Technip FMC, uma das gigantes da cadeia de fornecedores, presente no Brasil desde a década de 1990. Desde o fim do ano passado, a empresa tem aberto 90 vagas por mês.

A expectativa é manter o ritmo até 2025. A maior parte é em “áreas de serviços e embarcações”, mas há vagas “para funções de projetos e de apoio aos projetos”, disse a empresa.

Com informações de O Globo.

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário