21 JUL 2024 | ATUALIZADO 13:56
SAÚDE
03/06/2024 18:25
Atualizado
03/06/2024 18:25

RN consegue obter a menor taxa de mortalidade por infarto entre os estados do Nordeste

A+   A-  
Em 2023 o estado registrou uma queda de 21% na taxa de mortalidade por infarto, saindo de 8,58% para 6,74%, sendo assim a menor taxa entre os estados do Nordeste e a 5ª menor do país. Os frutos das ações coordenadas pela Sesap foram apresentados e discutidos na manhã desta segunda-feira (3) em uma reunião chefiada pela governadora Fátima Bezerra e com a presença de representantes do Ministério da Saúde, da empresa alemã Boehringer Ingelheim, que trabalha em conjunto com a Sesap, e da secção potiguar da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC-RN).
Imagem 1 -  RN consegue obter a menor taxa de mortalidade por infarto entre os estados do Nordeste . Em 2023 o estado registrou uma queda de 21% na taxa de mortalidade por infarto, saindo de 8,58% para 6,74%, sendo assim a menor taxa entre os estados do Nordeste e a 5ª menor do país. Os frutos das ações coordenadas pela Sesap foram apresentados e discutidos na manhã desta segunda-feira (3) em uma reunião chefiada pela governadora Fátima Bezerra e com a presença de representantes do Ministério da Saúde, da empresa alemã Boehringer Ingelheim, que trabalha em conjunto com a Sesap, e da secção potiguar da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC-RN).
RN consegue obter a menor taxa de mortalidade por infarto entre os estados do Nordeste . Em 2023 o estado registrou uma queda de 21% na taxa de mortalidade por infarto, saindo de 8,58% para 6,74%, sendo assim a menor taxa entre os estados do Nordeste e a 5ª menor do país. Os frutos das ações coordenadas pela Sesap foram apresentados e discutidos na manhã desta segunda-feira (3) em uma reunião chefiada pela governadora Fátima Bezerra e com a presença de representantes do Ministério da Saúde, da empresa alemã Boehringer Ingelheim, que trabalha em conjunto com a Sesap, e da secção potiguar da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC-RN).

O infarto agudo do miocárdio historicamente ocupa os primeiros lugares entre as causas de morte no Rio Grande do Norte e no Brasil.

Para enfrentar o problema, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) estruturou a linha de cuidado do infarto e, em abril de 2022, iniciou o processo de implantação da rede de atendimento que hoje está espalhada em todo o RN.

Como resultado, já em 2023 o estado registrou uma queda de 21% na taxa de mortalidade por infarto, saindo de 8,58% para 6,74%, sendo assim a menor taxa entre os estados do Nordeste e a 5ª menor do país.

Os frutos das ações coordenadas pela Sesap foram apresentados e discutidos na manhã desta segunda-feira (3) em uma reunião chefiada pela governadora Fátima Bezerra e com a presença de representantes do Ministério da Saúde, da empresa alemã Boehringer Ingelheim, que trabalha em conjunto com a Sesap, e da secção potiguar da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC-RN).

“Quero agradecer a presença de todos, em especial a parceira Boehringer, que está aqui dando o reconhecimento do trabalho competente e dedicado que o Governo, através da Sesap, vem fazendo no cuidado com o infarto. Os resultados são tão positivos, que me deixam comovida e encantada quanto ao trabalho e como isso está sendo eficiente”, disse a governadora Fátima Bezerra.

A formação da linha de cuidado no RN consiste em uma série de ações em paralelo, desde o treinamento de mais de 2,9 mil profissionais potiguares em parceria com a Boehringer e a SBC-RN, preparação de leitos e, principalmente, a disponibilização dos medicamentos responsáveis por salvar os pacientes, chamado de trombolítico, que foram adquiridos pela Sesap por meio de um investimento de R$ 2,7 mi apenas em 2023.

A rede conta hoje com hospitais da rede pública estadual, unidades de pronto atendimento e o Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), já tendo salvo diretamente mais de 350 pessoas

“Esse trabalho é prioridade para a nossa gestão. A quantidade de vidas já salvas mostra a necessidade de se manter e ampliar o investimento. A linha de cuidado está funcionando plenamente em sete das oito regiões de saúde e a que falta, o Vale do Açu, passa a receber pacientes muito em breve”, pontuou Lyane Ramalho, secretária de Estado da Saúde Pública.

Elogios

A rápida queda na taxa de mortalidade está colocando o trabalho do RN entre os melhores do Brasil, de acordo com os especialistas. Segundo Felipe Reque, coordenador-geral de urgência do Ministério da Saúde, a experiência já constatada em solo potiguar será discutida e replicada.

“Nós vamos fazer a revisão de políticas e levar essa experiência para todo o Brasil, porque o desenho do programa potiguar atua em pontos comuns a praticamente todos os estados e os resultados falam por si”, destacou ele. “O RN hoje é referência, tendo uma das melhores, senão a melhor linha de cuidado do infarto no Brasil”, completou Alfredo Medeiros, gerente da Boehringer Ingelheim.

Planejamento

O próximo passo dentro da saúde pública do RN é replicar a experiência para o cuidado do acidente vascular cerebral (AVC), com os mesmos atores envolvidos.

A montagem da linha de cuidado do AVC, dada a maior complexidade da doença, envolve a estrutura de novas equipes multidisciplinares, abertura de leitos em unidades específicas e também a disponibilidade de transporte aeromédico.

O estado está em processo de aquisição de equipamentos e adaptação de um avião, que será operado pelo Corpo de Bombeiros em parceria com a Sesap, para realizar o translado de pacientes por todo o estado e também para fora do RN da forma mais ágil possível.

A reunião sobre a linha do infarto também contou com a presença da presidente da SBC-RN Carla Karini Rocha, o superintendente estadual do Ministério da Saúde Jalmir Simões, o subcomandante do Corpo de Bombeiros coronel Josenildo Acioli, membros da equipe técnica da Sesap e da Boehringer Ingelheim.


Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário