24 JUN 2024 | ATUALIZADO 17:13
NACIONAL
07/06/2024 17:21
Atualizado
07/06/2024 17:21

“Celular Seguro”: Nubank inicia integração à derramamento de segurança do MJSP

A+   A-  
A ferramenta foi desenvolvida pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), em parceria com Febraban e Anatel. Assim que a adesão do Nubank for concluída, a instituição passará a fazer bloqueios de cartões virtuais e a desconectar usuários do aplicativo quando um cidadão cadastrado no Celular Seguro emitir um alerta.
Imagem 1 -  “Celular Seguro”: Nubank inicia integração à derramamento de segurança do MJSP. A ferramenta foi desenvolvida pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), em parceria com Febraban e Anatel. Assim que a adesão do Nubank for concluída, a instituição passará a fazer bloqueios de cartões virtuais e a desconectar usuários do aplicativo quando um cidadão cadastrado no Celular Seguro emitir um alerta.
“Celular Seguro”: Nubank inicia integração à derramamento de segurança do MJSP. A ferramenta foi desenvolvida pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), em parceria com Febraban e Anatel. Assim que a adesão do Nubank for concluída, a instituição passará a fazer bloqueios de cartões virtuais e a desconectar usuários do aplicativo quando um cidadão cadastrado no Celular Seguro emitir um alerta.

O programa Celular Seguro segue ampliando sua rede de parceiros e a segurança dos usuários. Nesta quarta-feira (5), o Nubank, com cerca de 92 milhões de clientes no Brasil, iniciou o processo de integração à ferramenta, desenvolvida pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), em parceria com Febraban e Anatel.

Assim que a adesão for concluída, a instituição passará a fazer bloqueios de cartões virtuais e a desconectar usuários do aplicativo quando um cidadão cadastrado no Celular Seguro emitir um alerta.

“Nosso objetivo é alcançar efetivamente as dezenas de milhões de clientes do Nubank, que poderão se integrar à rede do Celular Seguro. Estamos trabalhando para ampliar o alcance da ferramenta, corrigindo erros e ampliando a segurança oferecida por ela”, destacou o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Manoel Carlos de Almeida Neto.

A Chief Legal Officer do Nubank, Elita Ariaz, afirmou que a instituição apoia iniciativas que tragam mais segurança aos clientes.

"Trabalhamos constantemente no desenvolvimento de ferramentas que ajudem a proteger nossos clientes mesmo diante de eventos indesejados como roubos e furtos. Sem dúvida o Celular Seguro será uma camada complementar importante aos nossos mecanismos de defesa", disse Elita.

Também participaram da reunião a Subsecretária de Tecnologia da Informação e Comunicação do MJSP e perita criminal federal, Solange Berto; o Coordenador-Geral de Planejamento, Inovação e Integração de Soluções para Segurança Pública do MJSP e perito criminal federal, José Rocha; o diretor global de Políticas Públicas do Nubank, Eduardo Lopes; a gerente de Políticas Públicas do Nubank, Marília Monteiro; e o especialista em Políticas Públicas do Nubank, Felipe Lourenço.

Parceiros

O Nubank será a 13a instituição a aderir ao programa Celular Seguro. Atualmente, além da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), os bancos que bloqueiam os acessos às contas via aplicativo a partir de alertas na ferramenta são: Pan, Inter, Sicoob, Caixa, BTG Pactual, XP Investimentos, Santander, Safra, Banco do Brasil, Itaú, Sicredi e Bradesco.

Telefonia

Sempre que o usuário do Celular Seguro emite um alerta, além do bloqueio às contas dos bancos parceiros, as operadoras de telefonia bloqueiam os chips dos telefones roubados, furtados ou extraviados. O objetivo da medida é evitar que bandidos utilizem os chips para clonar o WhatsApp e redes sociais para aplicar golpes.

Além disso, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) também efetua o bloqueio do aparelho, a partir do IMEI, que é a identificação de cada telefone móvel.


Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário