08 MAI 2021 | ATUALIZADO 18:16
POLÍTICA
Da redação
28/02/2016 17:16
Atualizado
12/12/2018 09:13

Em vídeo, vereador Tomaz Neto explica porque se recusou a fazer o bafômetro

A+   A-  
Vereador foi conduzido e autuado na Delegacia de Plantão no início da noite de sábado, 27, pela Polícia Rodoviária Estadual após se recusar a fazer o teste na RN 013, que liga Mossoró ao município de Tibau
Imagem 1 -  Em vídeo, vereador Tomaz Neto explica porque se recusou a fazer o  bafômetro
Alcivan Villar/Fim da Linha

O vereador Antônio Tomaz Neto, do PDT, em vídeo gravado pelo radialista Alcivan Villar, explica porque não fez o teste de alcoolemia quando os policiais da Polícia Rodoviária Estadual solicitaram ao ser abordado na RN 013, no início da noite de sábado, 27.

Veja mais

Vereador Tomaz Neto é preso e autuado por constatação de embriaguez ao volante

Disse que estava com a mulher e dois netos e não quis fazer. Disse que falou aos policiais que poderiam levá-lo à Delegacia de Plantão para fazer o boletim. Afirmou que não bebeu e que todos na delegacia viram que ele não estava aparentando ter bebido.

“É um direito profissional, vinha com minha mulher e dois netos, não quis fazer. Se quiser conduzir para a delegacia, pode me conduzir”, diz Tomaz Neto no vídeo que segue.

No caso de recusa de fazer o teste de bafômetro, os policiais podem aplicar a Lei, ou seja, conduzir preso o motorista à autoridade de Policia Civil com Auto de Constatação de Embriaguez. Foi o que aconteceu.

Na delegacia, o delegado de plantão Roberto Moura recebeu o Auto de Constatação da Polícia Rodoviária Estadual, tentou convencer o advogado e vereador Tomaz Neto a fazer o teste, tendo ele novamente se negado, e decidiu, após ouvir as partes, fazer o flagrante.

Ainda conforme o delegado, o auto de prisão em flagrante atendeu a todos os requisitos previstos em lei, ou seja, o procedimento foi adotado na presença de representante da Ordem dos Advogados do Brasil e também da Câmara Municipal de Mossoró.

Após concluir seu trabalho no Plantão Policial, o delegado Roberto Moura arbitrou fiança de R$ 1.400,00, e nesta segunda-feira, 1º de março, envia oficialmente o auto de prisão em flagrante para  II Delegacia de Policia, a quem compete concluir o trabalho e remeter ao Poder Judiciário.

Notas

Posto JP Fevereiro de 2021

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário