15 NOV 2019 | ATUALIZADO 18:56
SAÚDE

Terroristas matam 9 em ataque a bomba contra veículo da ONU

O grupo militante somali Al Shabaab explodiu uma minivan que transportava funcionários para um escritório da ONU na região semiautônoma de Puntland
Da redação
20/04/2015 12:52
Atualizado
14/12/2018 01:06
A+   A-  
Imagem 1 -  Terroristas matam 9 em ataque a bomba contra veículo da ONU
Farah Abdi Warsameh

Pelo menos nove pessoas morreram nesta segunda-feira (20) e quatro ficaram feridas em um ataque contra um veículo das Nações Unidas em Garowe, na Somália, segundo a Reuters. De acordo com fontes da ONU, os quatro feridos estão em estado grave.

"Condeno o ataque desta manhã contra a ONU em Garowe. Comovido e consternado pela perda de vidas", disse o representante especial da ONU para a Somália, Nicholas Kay, em sua conta no Twitter.

"O ataque com dispositivo explosivo improvisado ocorreu quando os funcionários estavam viajando de suas hospedagens para o escritório, normalmente um trajeto de três minutos", disse o Unicef em comunicado.

O Fundo das Nações Unidas para Infância e Juventude (Unicef) disse em comunicado que o ataque com um dispositivo explosivo improvisado aconteceu durante o trajeto do local de hospedagem dos funcionário para o escritório, e mais quatro trabalhadores da entidade ficaram gravemente feridos.

"Nossos pensamentos estão com as famílias dos quatro funcionários que foram mortos e com aqueles que ficaram feridos. Todos nós no Unicef estamos profundamente tristes e profundamente chateados", disse Anthony Lake, diretor-executivo do fundo.

Testemunhas e outras fontes das forças de segurança citaram a possibilidade de uma bomba de fabricação ter sido colocada na estrada e detonada na passagem do veículo, um micro-ônibus utilizado para transportar os funcionários da ONU.

O ataque foi reivindicado pelo grupo jihadista somali Al-Shabab. No domingo (19), pelo menos 13 soldados que viajavam em um comboio da Missão da União Africana na Somália morreram em um ataque do Al-Shabab.

O grupo, que em 2012 anunciou sua adesão formal à Al Qaeda, luta para instaurar um Estado islâmico de cunho wahhabista na Somália. O país vive em estado de guerra desde 1991, quando o ditador Mohammed Siad Barre foi derrubado. Sem um governo efetivo, o país vive nas mãos de milícias radicais islâmicas.

Notas

Compra Notebook

Publicidades

Eleições 2020 MOSSORÓ

Outras Notícias

Deixe seu comentário