15 JUN 2024 | ATUALIZADO 22:35
POLÍCIA
Josemário Alves
27/04/2015 07:59
Atualizado
14/12/2018 06:57

Psicopata de Mossoró foge de hospital psiquiátrico em Natal

A+   A-  
Sena, como é mais conhecido, matou um garoto de 12 anos em Mossoró e tempos depois fez o mesmo e do mesmo jeito em Assu com menino de 9 anos
Imagem 1 -  Psicopata de Mossoró foge de hospital psiquiátrico em Natal
Cedida

O psicopata mossoroense Marcelo Pereira de Sena, de 35 anos, fugiu do Hospital de Custodia de Natal na manhã desta segunda-feira (27), onde estava internado.

Sena, como é mais conhecido, é acusado de crimes hediondos contra crianças entre 8 e 12 anos na região Oeste do Rio Grande do Norte.

A fuga aconteceu por volta das 4h da manhã. Sena serrou uma grade existente no banheiro da cela, pulou o muro e fugiu.

Segundo o coordenador de administração penitenciária, Durval Oliveira, após tomar conhecimento do caso, a polícia foi informada e já está à procura do mesmo.

“Acreditamos que ele não vai muito longe”, comentou.

Sena é considerado de alta periculosidade pelos atos criminosos já cometidos.

Em 1999, o psicopata matou com cinco punhaladas o menor Francisco José Medeiros da Silva, de 12 anos, em Mossoró, e escondeu seu corpo por quatro dias dentro de um tambor.

O crime praticado por ele, que é homossexual assumido, chocou toda a sociedade mossoroense.

Marcelo Sena foi preso, cumpriu cerca de quatro anos de prisão e recebeu liberdade condicional. Uma vez por mês ele comparecia a uma vara de justiça, em Natal, para assinar uma folha de presença.

Foi no intervalo de uma dessas idas à Justiça que Sena abusou sexualmente e matou o menino Alexandro Lourenço de Araújo, de 9 anos, em Assu.

A criança foi morta com um golpe de faca na cabeça. O corpo foi arrastado pelo asfalto, por vários metros, até um lixão na RN - 016, que liga Assu a Carnaubais. Lá, o acusado arrancou os testículos e pênis da vítima, assim como o molestou sexualmente.

Após investigação, Sena foi preso e internado no Hospital de Custodia do Sistema Penitenciário de Natal, onde permaneceu até a fuga.

Durval ressalta que “um cara desses, que comete dois crimes como esses, não pode ficar em liberdade por hipótese alguma”.

Em entrevista ao MOSSORÓ HOJE, a vice-diretora do hospital psiquiátrico, Juliane Sousa, disse que Sena sempre apresentou um comportamento de tranquilidade.

“Ele era muito tranquilo, convivia com os internos normalmente, inclusive colaboração com a equipe do hospital”, revelou.

Ao avista-lo, a PM deve ser avisada imediatamente através do 190.

Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário