19 MAI 2019 | ATUALIZADO 09:00
NACIONAL

Governo Bolsonaro ameaça cortar 30% dos recursos das universidades e IFs do País

Secretário do MEC diz que cortes serão no segundo semestre de 2019 e só serão reavaliados se a Reforma da Previdência for aprovada. De inicio, o ministro bloqueou 30% dos recursos das universidades federais de Brasília, do Rio de Janeiro e da Bahia, por está permitindo "Balburdias" em suas dependências
01/05/2019 10:21
Atualizado
01/05/2019 10:34
A+   A-  
Governo Bolsonaro ameaça cortar 30% dos recursos das universidades e IFs do País
Presidente Jair Messias Bolsonaro escolheu Weintraub para substituir Ricardo Velez Rodrigues no MEC

No caso de a reforma da Previdência não ser aprovada no Congresso Nacional, o secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, disse a TV Globo na noite desta terça-feira, 30, que o Governo de Jair Messias Bolsonaro vai cortar 30% dos recursos das Universidades Federais e Institutos Federais do País.

A declaração do secretário Lima Junior já foi explicando a declaração o ministro Abraham Weintraub, da Educação, ao Jornal Estado de São Paulo. Weintraub disse que estava bloqueando 30% dos recursos da Universidade de Brasília, da Universidade Federal Fluminense e da Universidade Federal da Bahia.

“Universidade que, em vez de procurar melhorar o desempenho acadêmico, estiverem fazendo balbúrdia, terão verbas reduzidas”, disse o ministro ao Jornal Estado de São Paulo, citando como exemplo deste bloqueios por “balburdias” as UFF, UNB e UFBA. Antes, o ministro Weintraub já havia demonstrado interesse de cortar bolsas em pós graduação.

Em seguida, especialistas em educação em todo País saíram com notas criticando a atitude do ministro. Segundo eles, a decisão fere o princípio da autonomia universitária previsto na Constituição Federal. Outro fato é que as universidades citadas têm ótimos desempenhos em avaliações do próprio MEC.

As universidades citadas pelo ministro que iriam ter os cortes de 30% informaram que se for confirmado, haverá consequências graves para o pleno funcionamento das universidades, com prejuízos enormes para a educação federal nestas regiões do País.

No início da noite, procurado pela TV Globo, o secretário Lima Junior explicou que o bloqueio de 30% dos recursos das universidades federais de Brasília, Rio de Janeiro e Bahia, iria valer para todas as universidades e institutos federais no País.

Lima Junior disse que o corte nos repasses será de “30%, de forma isonômica para todas as universidades, no segundo semestre”. O Uol Educação informou que este quadro pode ser reavaliado no caso de acontecer a aprovação da “Nova Previdência”.

Lima Junior também falou a Globo que o MEC, a partir de agora, vai adotar como critério a qualidade de ensino e a inserção dos alunos no mercado de trabalho para a liberação de verbas. Reitores, professores e alunos de todas as universidades estão em pânico.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário