25 AGO 2019 | ATUALIZADO 17:47
ECONOMIA

“Serra do Mel será uma das cidades mais ricas do RN”, analisa vereador

O vereador Jeú Costa atribui essa previsão à construção da estrada que liga Serra do Mel aos municípios de Areia Branca, Carnaubais e a BR 304, ao replantio de 40% da copa de cajueiros, bem como a instalação de empresas de energia eólica, que têm investindo município.
DA REDAÇÃO
22/07/2019 12:10
Atualizado
22/07/2019 12:11
A+   A-  
“Serra do Mel será uma das cidades mais ricas do RN”, analisa vereador
FOTO: REPRODUÇÃO

Em conversa com o MOSSORÓ HOJE, o vereador Jeú Costa disse que o município de Serra de Mel tem tudo para ver suas realidade econômica sendo completamente transformadas nos próximos anos.

O vereador atribui essa perspectiva a construção da estrada que liga Serra do Mel aos municípios de Carnaubais, Areia Branca e a BR 304, e que vem trazendo muita riqueza a cidade.

Além disso, empresas de energia renovável têm se instalado nas vilas do município e, com isso, investido muito dinheiro na criação de um parque eólico.

“As eólicas foram muito bem recebidas no nosso município. Elas estão investindo no nosso município, construindo parque eólicos nas vilas e a perspectiva é que daqui a dois anos Serra do Mel seja uma das cidade mais ricas do Rio Grande do Norte”, explicou Jeú.

O município de Serra do Mel já foi um dos maiores produtores de castanha de caju do Rio Grande do Norte. Projeto na década de 70, Serra do Mel possuía 22 vila rurais e uma vila administrativa.

A cidade já chegou possuir uma plantação de cerca de 2,4 milhões de cajueiros. Essa plantação foi diminuindo ao longo dos anos, devido à seca prolongada e as inúmera pragas, tais como a da mosca branca, que atingiram a região.

Hoje, 40% dos cajueiros estão sendo replantados e a previsão é que essas árvores voltem a produzir castanha e caju, que deverão reaquecer a economia do município, junto com as eólicas.

“Muita gente tá replantando os cajueiros que foram perdidos e previsão é que Serra do Mel volte a ter aquele produção que tinha nos anos 80”, concluiu.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário