25 AGO 2019 | ATUALIZADO 17:47
ESTADO

No RN, aumento da fiscalização diminui casos de embriaguez ao volante

Graças a atuação da Operação Lei Seca, através de blitzen e ações educativas, o estado registrou uma queda de 20% no número de casos de embriaguez ao volante de janeiro e julho deste ano. No RN, a operação é desenvolvida em parceria entre Polícia Militar e o Detran/RN
COM INFORMAÇÕES DO G1
13/08/2019 09:02
Atualizado
13/08/2019 09:06
A+   A-  
No RN, aumento da fiscalização diminui casos de embriaguez ao volante
FOTO: DIVULGAÇÃO/PMRN

A Operação Lei Seca divulgou números das ações desenvolvidas neste ano, no Rio Grande do Norte, com o objetivo de combater crimes de trânsito e conscientizar os motoristas quanto aos riscos de dirigir sob efeito de álcool.

De janeiro a julho deste ano, 1.466 motoristas foram autuados e 15 acabaram presos em flagrante por embriaguez ao volante, uma redução de pouco mais de 20% com relação ao mesmo período de 2018.

Quanto ao número de abordagens, houve um aumento: 20.675 motoristas foram parados e convidados a fazer o teste de bafômetro nos primeiros sete meses de 2018. Já de janeiro a julho deste ano, foram 24.197 abordagens, ou seja, 17% a mais.

No estado, a Operação Lei Seca é desenvolvida em parceria pela Polícia Militar e Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RN).

Veja mais:

Op. Lei Seca registra 356 autuações por embriaguez ao volante no MCJ


DIMINUIÇÃO NO NÚMERO DE AUTUAÇÕES

Os motoristas são autuados e multados administrativamente quando a quantidade de bebida ingerida fica abaixo de 0,34 miligramas por litro de ar expelido. Neste caso, 1.841 motoristas foram autuados em 2018. Já nos primeiros sete meses de 2019, foram 1.466 autuações.

“Quando o motorista se recusa a fazer o teste do bafômetro, ele também é autuado administrativamente. Nesta situação, ele recebe uma multa de R$ 2.934,70 e ainda pode ter a carteira de habilitação suspensa por 12 meses”, explicou o capitão PM Isaac Paiva, coordenador da Lei Seca no RN.

“Ao longo dos anos, percebemos que o comportamento do condutor, principalmente em Natal, onde a fiscalização é mais constante, vem se modificando. No início era comum autuarmos 70, 80 pessoas ou até mais em uma única blitz. Mas, hoje em dia, isso só ocorre em eventos muito específicos, e isso é fruto da insistência na fiscalização”, ressaltou.

Ainda de acordo com Isaac, atualmente as pessoas sabem que a fiscalização é constante e que se forem pegas cometendo a infração serão duramente penalizadas.

“E isso, aliado às campanhas educativas e também ao trabalho de todos os demais órgãos de fiscalização, como o Comando de Policiamento Rodoviário Estadual e a Polícia Rodoviária Federal, faz com que as pessoas se sintam desestimuladas a cometer o ilícito, o que impacta positivamente na redução de acidentes”, acrescentou.

Ao longo de todo o ano de 2018, a Lei Seca autuou 3.065 motoristas por embriaguez ao volante.

PRISÕES

Quanto ao número de motoristas presos por embriaguez ao volante, ainda de acordo com os dados da Lei Seca no RN, também houve uma redução.

Em 2018, por exemplo, de janeiro a julho foram registradas 61 prisões em flagrante. Já nos primeiros sete meses deste ano, foram 15 casos (-75%).

As prisões por ingestão de bebida alcoólica acontecem quando o motorista, mesmo que ele se recuse a fazer o teste, apresenta sinais visíveis de embriaguez, ou quando o resultado do bafômetro acusa uma presença igual ou superior a 0,34 miligramas por litro de ar expelido.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário