21 SET 2019 | ATUALIZADO 13:00
MOSSORÓ

“A maior parte dos incêndios começa por intervenção humana”, diz bombeiro

O Capitão Neves Monteiro, comandante do Corpo de Bombeiros de Mossoró, explicou que é comum o aumento do número de casos de incêndios entre os meses de agosto e setembro, devido a estiagem, mas que a maior parte deles é iniciada por meio da intervenção humana.
ANNA PAULA BRITO
23/08/2019 11:36
Atualizado
23/08/2019 12:36
A+   A-  

O número de chamados para os bombeiros combateram incêndios em Mossoró e região aumentou no último mês. De acordo com o Capitão Monteiro, comandante do Corpo de Bombeiros de Mossoró, esse aumento é comum nos meses de agosto e setembro.

O período de estiagem, que chega ao estado após período chuvoso, facilita as queimadas e, consequentemente, a velocidade com que o fogo se espalha.

“A gente observa ao longo dos anos que nesse período aumenta a demanda desse tipo de ocorrência. A gente registra um aumento significativo, inclusive, acontece muitas vezes de recebermos solicitações simultâneas, em locais diferentes.

O Capitão Monteiro conta que as chamadas são realizadas não apenas para Mossoró, mas também para municípios da região que fazem parte da jurisdição do Corpo de Bombeiros da cidade.

“Por exemplo, teve uma situação em Assú, na Maísa, que é aqui em Mossoró, mas já é zona rural, então a gente tem que fazer alguns deslocamentos para poder atender a essas situações”, explicou.


Embora o período de estiagem contribua para o aumento no número de queimadas, o Capitão Monteiro contou que a maior parte dos incêndios são iniciados por meio da intervenção humana.

“Infelizmente, a maior parte das situações acontecem por interferência humana mesmo. Por exemplo, um agricultor quer preparar um pasto, quer fazer uma limpeza, muitas vezes lança mão de fazer através de queimadas e ao invés de queimar apenas a área desejada, acaba se alastrando, perdendo o controle e virando um incêndio”.

O exemplo dado é com relação a zona rural, mas o Capitão explica que isso também ocorre na zona urbana, em terrenos baldios, queimada de lixo etc,

O Capitão Monteiro orienta que a prevenção à incêndios deve ser feita com o básico: “evitar o início, que é a queimada”.

“As vezes a pessoa começa limpando um quintal, terreno, um pasto e é a partir daí que se inicia a maior parte dos casos de incêndio”, explicou.

Em casos em que a situação não é evitada e acontece o incêndio, a população deve entrar em contato com os bombeiros, através do 193, se afastar do local para evitar acidentes e aguardar a chegada da equipe.


CRIME AMBIENTAL

O cidadão que for pego colocando fogo em terrenos, seja na zona rural ou urbana, pode ser enquadrado na Lei de Crime Ambiental e responder a sanções previstas em lei como multa e, dependendo da situação, até receber voz de prisão.


Notas

Unicursos 2019

Publicidades

Unicursos em Mossoró MOSSORÓ

Outras Notícias

Deixe seu comentário