17 NOV 2019 | ATUALIZADO 18:15
ECONOMIA

Jogos proibidos movimentam cerca de 20 bi no Brasil, revela estudo

Distribuídos em jogos como jogo do bicho, que corresponde a R$ 12 bi, bingos clandestinos, com cerca de R$1,3 Bi, caça níqueis R$3,6 Bi, e jogos pela internet, com R$3 bi.
03/10/2019 16:36
Atualizado
03/10/2019 16:46
A+   A-  
Imagem 1 -

Apesar de ilegal, jogos proibidos como jogo do bicho, apostas esportivas e caça níqueis movimentam cerca de R$ 20 bilhões, segundo estudo do Portal BNLData.

Por ser um mercado ilegal, todos esses recursos não sofrem tributação e nem oferecem empregos para a população. Veja! 

Estudo revela revela grande movimentação financeira em jogos de azar

Em 2018 um estudo do portal BNLData revelou que, apesar de ilegais, os jogos de azar nunca deixaram de fazer parte da rotina dos brasileiros e movimenta cerca de R$20bilhões anualmente. 

Distribuídos em jogos como jogo do bicho, que corresponde a R$ 12 bi, bingos clandestinos, com cerca de R$1,3 Bi, caça níqueis R$3,6 Bi, e jogos pela internet, com R$3 bi. 


Riscos não impedem o crescimento do mercado

Apesar da proibição, desde a década de 40 cerca de 20 milhões de brasileiros já apostam diariamente em jogo do bicho e mais de 10 milhões em jogos pela online.

Estado de olho

Diante de tantos recursos arrecadados, e com a crise financeira que o país sofre atualmente, a legalização dos jogos de azar voltam a pauta no Congresso Nacional.

A legalização pode ser aprovada ainda este ano com a criação do Marco Regulatório dos Jogos no Brasil, por meio do texto substitutivo ao PL 442/91, na Câmara dos Deputados, e o PLS 186/14, no Senado Federal.  

Desta forma, as duas propostas estão prontas para votação no Plenário das duas Casas Legislativas. 

“O jogo está proibido no Brasil há 77 anos. Se a gente tributasse os R$ 20 bilhões que hoje nós temos em arrecadação com o jogo clandestino, nós estaríamos falando em algo de R$ 6 bilhões por ano (de impostos). Se a gente multiplicasse R$ 6 bilhões por 77, a gente chegaria em uma conta tão absurda, mas que vale a pena fazer, que é algo em torno de R$ 462 bilhões, recursos estes que seriam para os cofres públicos", relata o presidente do Instituto Brasileiro Jogo Legal, Magno José. 


Legalização pode gerar emprego e renda

De acordo com o estudo, a legalização dos jogos de azar no Brasil pode gerar cerca de 658 mil empregos diretos e 619 mil empregos indiretos por meio da cadeia produtiva. 

Apesar de existirem diversas modalidades de jogo de azar, mais de 450 mil vagas formais viriam apenas do jogo do bicho. 

“Hoje o Brasil é um dos países que mais se aposta no mundo. A sociedade, que poderia estar recebendo os frutos do lado bom do jogo, que é justamente a questão de emprego e renda, a questão dos impostos que eles podem gerar para a economia, a sociedade não recebe. Porque hoje quem se beneficia do jogo no Brasil são as pessoas que atuam na marginalidade. São pessoas que sonegam impostos, pagam a proteção policial, então nós temos um dos países que mais se joga no mundo e a população não recebe os benefícios do jogo como deveria acontecer", avalia a frente parlamentar que é a favor da legalização. 

Notas

Compra Notebook

Publicidades

Eleições 2020 MOSSORÓ

Outras Notícias

Deixe seu comentário