17 NOV 2019 | ATUALIZADO 18:15
SAÚDE

Para cada três mulheres, um homem é diagnosticado com enxaqueca

Desencadeado por diferentes fatores, o problema ocorre em qualquer idade, mas costuma se manifestar mais em adolescentes, adultos jovens e afeta mais as mulheres que homens.
21/10/2019 08:40
Atualizado
21/10/2019 08:40
A+   A-  
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

Você tem ou conhece alguém que sofre de enxaqueca? Os casos são cada dia mais comuns nos consultórios médicos.

Desencadeado por diferentes fatores, ocorre em qualquer idade, mas costuma se manifestar mais em adolescentes, adultos jovens e afeta mais as mulheres que homens.

Segundo a neurologista do Hapvida, Drª Cintia Melo, “a enxaqueca é de causa desconhecida na qual ocorre constrição, seguida de dilatação, das artérias da cabeça, caracterizada por dor no meio do crânio, intensa e pulsátil, associada a problemas digestivos (náuseas e vômitos) e sensoriais”.

Estudos já comprovam que alguns elementos têm ligação direta no aparecimento da doença, tais como jejum prolongado, estresse, insônia, consumo de açúcar, chocolate, queijos fortes, embutidos, café e bebidas alcoólicas em excesso, fumo e alterações hormonais.

A patologia pode acarretar diversos transtornos à rotina do paciente, pois em alguns casos o indivíduo fica recluso e não consegue praticar atividades corriqueiras como ir ao trabalho, se socializar até mesmo com os familiares. Outro sintoma, como explica a neurologista “é a sensibilidade a luz”.

O diagnóstico deve ser feito pelo médico especialista que leva em consideração histórico familiar, avaliação física entre outros tópicos. Os tratamentos vão desde remédios com dosagem específica a utilização de botox.

É recomendado que o indivíduo que for diagnosticado com a doença mantenha uma vida saudável, não pule refeições e pratique exercícios físicos regularmente.


Notas

Compra Notebook

Publicidades

Eleições 2020 MOSSORÓ

Outras Notícias

Deixe seu comentário