07 DEZ 2019 | ATUALIZADO 13:29
MUNDO

México diz que reconhece Morales como presidente "legítimo" da Bolívia

O país concedeu asilo político a Evo Morales nesta segunda-feira (11). O governo do México denunciou que a renúncia de Morales se deve a um "golpe" dado pelo Exército, o que classificou como um grave retrocesso para a região.
COM INFORMAÇÕES DO G1
11/11/2019 18:47
Atualizado
11/11/2019 18:50
A+   A-  
Imagem 1 -
FOTO: ASSOCIATED PRESS

O México concedeu nesta segunda-feira (11) asilo político a Evo Morales. De acordo com o chanceler mexicano, o ex-presidente da Bolívia pediu proteção um dia depois de deixar o cargo sob pressão de opositores, militares e policiais.

De acordo com a agência Reuters, o governo mexicano pediu ao Ministério das Relações Exteriores boliviano que garantisse a saída segura de Evo Morales do país. Não se sabe se o ex-presidente já deixou a Bolívia.

A Organização dos Estados Americanos (OEA) – que marcou reunião para esta terça-feira (12) – está avisada da decisão.

O governo do México afirmou mais cedo nesta segunda que reconhece Evo Morales como presidente "legítimo" da Bolívia, e denunciou que sua renúncia se deve a um "golpe" dado pelo Exército, o que classificou como um grave retrocesso para a região.

Ebrard disse que o governo do presidente Andrés Manuel López Obrador não reconhecerá um governo de caráter militar na Bolívia.

"Consideramos um golpe o que ocorreu (na Bolívia) ontem (...) É um golpe porque o Exército pediu a renúncia do presidente e isso violenta a ordem constitucional do país", afirmou Ebrard em uma coletiva de imprensa com López Obrador.

"A postura que o México definiu no dia de hoje é de reivindicar, pedir respeito à ordem constitucional e à democracia na Bolívia", acrescentou o chanceler.

O ministro vai pedir reunião à OEA, mas acusou a organização de permanecer em silêncio diante do "pronunciamento militar e das operações policiais".

Veja mais:Pressionados, presidente e vice da Bolívia renunciam aos cargos



Notas

Ambiental do Brasil

Publicidades

Bolsas 100% MOSSORÓ

Outras Notícias

Deixe seu comentário