04 AGO 2020 | ATUALIZADO 22:17
SAÚDE
28/11/2019 17:53
Atualizado
28/11/2019 17:54

Rebanhos do RN devem ser vacinados contra aftosa até dia 30 de novembro

A+   A-  
A segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa foi iniciada no dia 1º de novembro. O produtor cadastrado junto ao IDIARN e que ainda não vacinou seu rebanho deve adquirir sua vacina e fazer a declaração do rebanho.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

A segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa será encerrada no sábado (30) no Rio Grande do Norte.

Esta fase da campanha foi iniciada no dia 1º de novembro, pelo Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN (IDIARN).

De acordo com o Idiarn, a vacinação é obrigatória apenas para os animais de 0 a 24 meses, correspondendo a 30% do rebanho atual, porém, todos os animais deverão ser declarados.

O produtor cadastrado junto ao IDIARN e que ainda não vacinou seu rebanho deve adquirir sua vacina em uma das lojas autorizadas a comercialização e, após isso, vacinar os animais e declarar o rebanho em um dos escritórios do instituto, EMATER ou Secretarias Municipais de Agricultura.

Com um rebanho de mais de 890 mil animais, o Estado segue mantendo altos índices de cobertura vacinal, dando sequência ao processo de retirada da obrigatoriedade da vacinação.

Em maio, durante a primeira etapa deste ano, foi vacinado 97% do rebanho potiguar. Esses números permitem que o RN mantenha o status livre de febre aftosa com vacinação.

A febre aftosa é uma doença causada por vírus que provoca febre e aftas, principalmente na boca e entre os cascos dos animais, causando enorme perda na produção de leite e carnes.

Em maio de 2014 o RN foi reconhecido internacionalmente livre de aftosa com vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), classificação desejada há muitos anos pelos criadores potiguares.

Com o status o Estado passou a exportar seus animais, beneficiando a economia e o agronegócio do Rio Grande do Norte.


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário