08 AGO 2020 | ATUALIZADO 13:32
ESTADO
10/07/2020 18:52
Atualizado
10/07/2020 18:53

Rio Grande do Norte passa dos 38 mil casos confirmados de Covid-19

A+   A-  
Os dados epidemiológicos da Sesap nesta sexta-feira (10) registram 38.261 caso confirmados da doença e 1.356 óbitos (5 nas últimas 24h). Em Mossoró, são 146 óbitos e 3788 casos positivos para o novo coronavírus.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

Os dados epidemiológicos da Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap) nesta sexta-feira (10) registram 38.261 caso confirmados de Covid-19 e 1.356 óbitos provocados pela doença (5 nas últimas 24h).

Ainda há 51.096 casos suspeitos, 59.836 descartados e outros 188 óbitos em investigação laboratorial.

Em Mossoró, são 146 óbitos, 3788 casos confirmados, 2542 suspeitos, 3716 descartados e mais 12 óbitos em investigação.

A taxa geral de ocupação de leitos críticos é de 83% (a meta é 80%). Dos 255 leitos de UTI e semi-uti, 214 estão ocupados. A fila de regulação tem 7 pacientes para leitos críticos e 10 para leitos clínicos. 27 aguardam transporte sanitário.

Na Região Metropolitana de Natal a taxa de ocupação de leitos é de 86,2% - dos 153 leitos, 132 estão ocupados. Na região do Mato Grande (4 leitos) a ocupação é de 100%.

Já na região Oeste, de Mossoró com 54 leitos, a ocupação é de 88,8%. Em Pau dos Ferros (10 leitos) a ocupação é de 30%. E no Seridó, a taxa de ocupação é de 76%.

A taxa de isolamento social é de 40,5%, sendo que o ideal seria entre 60 e 70%.

O secretário estadual da Saúde Pública, Cipriano Maia, informou que nos próximos dias o Estado vai iniciar a pesquisa sorológica de prevalência com extratos populacionais nas várias regiões do Estado.

"A pesquisa sorológica dá mais segurança na análise da pandemia. A testagem em massa da população se torna inviável e a Sesap faz o teste RT-PCR que identifica o indivíduo ser portador do vírus e o teste rápido, mas as quantidades são limitadas", afirmou.

"A situação se mostra mais confortável como resultado dos esforços do Governo no combate à pandemia. O tempo médio para internação dos pacientes regulados caiu para menos de quatro horas, já foi de 10 horas. O tempo médio de transporte, após a contratação de novas ambulâncias está em 7 horas. E, nesse cenário, 2.400 pessoas foram reguladas para internamento, 1.500 estão recuperadas", informou Cipriano.


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário