26 OUT 2020 | ATUALIZADO 23:16
POLÍCIA
17/10/2020 20:37
Atualizado
17/10/2020 20:44

João Venâncio mente sobre sequestro e vai responder por comunicação falsa de crime

A+   A-  
O advogado e ex-candidato a prefeito de Antônio Martins alegou que havia sido sequestrado, depois de passar quase 3 dias desaparecido e ser encontrado na cidade de Pereiros, no Ceará. De acordo com o inquérito da polícia civil, após o surgimento de imagens de uma câmera de segurança que mostram ele descendo voluntariamente do carro de um sobrinho, João Venâncio confessou que teve uma crise de pânico e criou a história.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

As inquérito referente ao suposto sequestro do ex-candidato a prefeito de Antônio Martins, Dr. João Venâncio, ocorrido em 23 de setembro, terminou com ele sendo indiciado por falsa comunicação de crime.

De acordo com o delegado Aroldo Chaves, da Delegacia de Polícia Civil de Alexandria, responsável pelas investigações, imagens de uma câmera de segurança mostraram o advogado descendo por vontade própria do carro de um sobrinho, em Pereiros, no Ceará.

João Venâncio passou quase três dias desaparecido, tendo deixado a família, em Antônio Martins, preocupada com o sumiço. O carro dele foi encontrado abandonado, na BR-226, entre as cidades Antônio Martins e Pau dos Ferros.

Relembre AQUI.

Na sexta-feira, 25 de setembro, o próprio João Venâncio foi até a destacamento local da PM e fez contato com a Polícia Civil de Alexandria. O delegado Aroldo Chaves então seguiu até a cidade de Pereiros, junto com o agente de Polícia Civil Raniere, para acompanhar o político de volta a sua cidade no RN.

Na época, Venâncio narrou aos policiais que foi abortado e colocaram um capuz em sua cabeça e após as 19h da sexta-feira (25 de setembro) deixado na serra de acesso a cidade de Pereiros, no Ceará.

Veja mais:

Candidato a prefeito do PT no RN diz que foi raptado para não registrar candidatura


A Polícia Civil seguiu com as investigações e, segundo o Delegado Aroldo, com o surgimentos das imagens, o político foi confrontado e confessou que havia inventado a história.

“Confrontamos ele com essas imagens, onde nesse momento e diante do fato ele confessou que tinha criado toda aquelas história. Ele afirma que entrou em uma crise de pânico e queria só se esconder na casa da irmã”, contou o delegado.

João Venâncio ainda afirmou que a crise de pânico aconteceu em decorrência de achar que estava sendo perseguido. Agora ele vai responder por falsa comunicação de crime.

Veja o processo AQUI.

Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário