19 OUT 2021 | ATUALIZADO 18:25
NACIONAL
16/09/2021 15:56
Atualizado
16/09/2021 15:56

Políticas públicas de implementação da rede móvel 5G no Brasil serão avaliadas

A+   A-  
O pedido é do Senador Jean, que afirma que os efeitos econômicos que serão gerados com a implementação do 5G no Brasil são gigantescos. Estudo feito pelo IDC para o Movimento Brasil Digital (MDB) mostra que a implementação da tecnologia no país deve gerar cerca de US $ 22,5 bilhões em negócios entre segmentos B2B (business to business) até 2024. O Brasil, no entanto, ainda não tem previsão de quando será incluído na lista de nações com a tecnologia, pois ainda aguarda parecer do TCU para realizar leilão.
Imagem 1 -
FOTO: CEDIDA

A Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado aprovou, nesta quinta-feira (16), um requerimento de autoria do Senador Jean (PT-RN) para avaliar as políticas públicas de implementação da rede móvel 5G no Brasil, no ano de 2021.

Segundo pesquisa da Viavi Solutions, o mundo já tem 65 países, totalizando 1.662 cidades, conectados à rede móvel 5G. O Brasil ainda não está na lista e nem tem previsão para que isso aconteça.

Apesar de a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) ter enviado, em março, o edital do leilão de radiofrequência para análise do Tribunal de Contas da União (TCU), somente no mês passado a agência reguladora terminou de encaminhar os esclarecimentos solicitados pela Corte para emitir seu parecer.

O TCU tem até 90 dias para concluir a avaliação. Só depois disso, o leilão será realizado. “O leilão para a implementação da tecnologia no Brasil será o maior leilão de radiofrequências já realizado no país e o maior para a tecnologia de quinta geração no mundo todo”, afirmou o Senador.

O parlamentar afirma que os efeitos econômicos que serão gerados com a implementação do 5G no Brasil são gigantescos.

Estudo feito pelo IDC para o Movimento Brasil Digital (MDB) mostra que a implementação da tecnologia no país deve gerar cerca de US $ 22,5 bilhões em negócios entre segmentos B2B (business to business) até 2024.

"Lembramos que há uma disputa e interesse mundial pelo comércio da tecnologia 5G, já que os bloqueios feitos pelos Estados Unidos e por outros países europeus às empresas chinesas têm provocado uma verdadeira corrida para a substituição de tecnologias nessas nações", explica o Líder da Minoria no requerimento.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário