24 SET 2020 | ATUALIZADO 18:36
POLÍCIA
Da redação
24/10/2015 08:00
Atualizado
12/12/2018 21:07

Fugitivo de Justiça do RN morre em troca de tiros com Polícia Militar em Mossoró

A+   A-  
Policiais apreenderam com o suspeito uma pistola e um carro que havia sido tomado de assalto no bairro Sumaré semana passada em Mossoró; policiais procuram outros dois suspeitos
Imagem 1 -  Fugitivo de Justiça do RN morre em troca de tiros com Polícia Militar em Mossoró
José Nilson/Passando na Hora

O fugitivo de justiça Chilone Ribeiro Duarte, de 24 anos, residente no bairro Nova Vida, morreu em troca de tiros com a Policia Militar na manhã deste sábado, 24, no Conjunto Geraldo Melo, zona leste de Mossoró. Os policiais estão procurando outros dois suspeitos que estava com o fugitivo.

Chilone, que é fugitivo do Centro Penal Doutor Mário Negócio, ainda foi socorrido pelos PMs para o Hospital Regional Tarcísio Maia, mas já chegou sem vida. Com ele foi apreendido, foi apreendido uma pistola e um Siena verde escuro, que havia sido tomado de assalto passada no bairro Sumaré.

O sargento Miguel, que comandou a operação que resultou na apreensão da pistola, do veículo roubado e na morte de Chilone Ribeiro, relata que estava fazendo diligências nas imediações do Conjunto Geraldo Melo, zona leste de Mossoró, quando se deparou numa estrada carroçável com o Siena verde e os 3 suspeitos.

Depois de uma breve perseguição, os suspeitos abandonaram o veículo e entraram no mato atirando na direção da viatura policial. Os policiais teriam revidado e baleado um dos atiradores.

Os outros dois suspeitos conseguiram se evadir e estão sendo procurados enquanto que o suspeito baleado foi levado para o HRTM e já chegou ao pronto socorro sem vida.

O corpo de Chilone foi removido do HRTM para exames na sede do Instituto Técnico-científico de Policia (ITEP). O caso foi registrado como auto de resistência a prisão.

Estatísticas

A Câmara de Mapeamento de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) no Rio Grande do Norte, que trabalha com dados do Observatório da Violência, Instituto Técnico-científico de Polícia (ITEP) e Ministério da Saúde, aponta que a morte de Chilone é a de número 128 neste ano de 2015 em Mossoró, sendo 29 CVLIs a menos do que no mesmo período de 2014. O ano de 2011 continua sendo o mais violento da história.

Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário