17 MAI 2022 | ATUALIZADO 14:59
ECONOMIA
Por Cezar Alves
04/11/2021 22:52
Atualizado
04/11/2021 23:34

Grupo Itagres engana o povo de Mossoró de novo, desafiando as autoridades

A+   A-  
Prometeu reabrir a Porcellanati até o dia 4 de novembro e não o fez; A nova quebra de contrato abre janela jurídica para a Prefeitura de Mossoró solicitar o terreno de volta e doa-lo para outra empresa ou empresas que queiram de fato investir e gerar emprego em Mossoró
Imagem 1 -  Prometeu reabrir a Porcellanati até o dia 4 de novembro e não o fez; A nova quebra de contrato abre janela jurídica para a Prefeitura de Mossoró solicitar o terreno de volta e doa-lo para outra empresa ou empresas que queiram de fato investir e gerar emprego em Mossoró
Prometeu reabrir a Porcellanati até o dia 4 de novembro e não o fez; A nova quebra de contrato abre janela jurídica para a Prefeitura de Mossoró solicitar o terreno de volta e doa-lo para outra empresa ou empresas que queiram de fato investir e gerar emprego em Mossoró

Quando oficialmente notificada pela Prefeitura Municipal de Mossoró, no processo de retomada do terreno, o grupo Itagrês se apressou em informar que colocaria a Porcellanati em funcionamento até o dia 4 de novembro deste ano. Entretanto, a empresa, mais uma vez, descumpriu seu compromisso com o povo de Mossoró, desafiando as autoridades locais.

Do povo mossoroense, a Porcellanati recebeu o terreno, água, luz, gás natural e acesso, além de isenção fiscal por 10 anos (uma renúncia de R$ 35 milhões) e empréstimo na casa dos 70 milhões de dólares para a compra de equipamentos, prometendo gerar pelo menos 99 empregos diretos no município de Mossoró, aquecendo assim a economia.

Isto foi a quase duas décadas, sendo que até nesta presente data a empresa não consolidou o funcionamento, com a produção de Porcellanati, protagonizando uma sequência de descumprimentos de acordos seguidos, abrindo e fechando, deixando dívidas trabalhistas milionárias, e junto ao comércio local e também fornecedores de outros estados.

Ao assumir o governo no início de 2021, o prefeito Allyson Bezerra determinou que sua equipe de governo analisasse a situação das empresas que receberam benefícios públicos no Parque Industrial, observando quais estavam funcionando e quais estavam sem funcionar, descumprindo o compromisso contratual assumido com o povo mossoroense.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Mossoró, inclusive, havia aberto, há cerca de 7 anos, um procedimento de retomada do terreno da Porcellanati, caso ela continuasse a cumprir o acordo firmado. Este processo, no entanto, estranhamento desapareceu durante gestão Rosalba Ciarlini, no período de 2017 a 2020.

Inclusive, em 2018, a própria Rosalba Ciarlini, e sua equipe, enganaram o povo de Mossoró, ao anunciar, de novo, a retomada das atividades, com a geração de 500 empregos. Numa promessa eleitoreira, chegou a formar filas enormes na Avenida Rio Branco, no Centro de Mossoró, de pessoas com currículos sonhando com um emprego na empresa.

Veja mais

Candidatos fazem fila por emprego na Porcellanati, em Mossoró

Lembram da imensa fila por emprego na Porcellanati, Rosalba enganou todo mundo

Ao assumir a gestão no início de 2021, o prefeito Allyson Bezerra determinou a equipe da Secretaria de Desenvolvimento Econômico que restaurasse o processo perdido e reiniciasse a retomada do patrimônio público doado a Itagres, para instalar a Porcellanati. Há cerca de 2 meses, este processo foi concluído. A gestão municipal chegou a declarar que precisava da área para transferir a Usibras da área urbana e instalar uma fábrica de pré-moldados.

Veja mais

Com terreno da Porcellanati de volta ao município, Usibras será retirada da área urbana

Com a pressão, o Grupo Itagres, que deve muito dinheiro aos ex-funcionários, fornecedores, assumiu um novo compromisso, para colocar a Porcellanati em funcionamento até o dia 4 de novembro. Hoje, o MOSSORÓ HOJE constatou que a unidade não está funcionando. Apesar da correria para novamente prometer abrir, não emprega nem metade do prometido: 99 pessoas.

Com o novo descumprimento do compromisso do grupo Itagrês, que já vem descumprindo promessas desta natureza há quase duas décadas, o grupo Itagres abriu uma janela jurídica para a Prefeitura de Mossoró concluir o pedido de reversão do terreno, ou seja, tomar de volta e entregar para quem de fato quer investir e gerar emprego e renda para Mossoró.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário