30 NOV 2021 | ATUALIZADO 18:24
ESTADO
25/11/2021 14:51
Atualizado
25/11/2021 14:56

Prefeita de Tibau cria programa de transferência de renda “Tibau Solidário”

A+   A-  
O programa tem como objeto a concessão de auxílio financeiro no valor de R$ 230,00, por família, tendo determinadas condicionalidades para atender cidadãos não incluídos no sistema contributivo de proteção social e que apresentam vulnerabilidade decorrente do ciclo de vida, bem como da incapacidade para a vida independente e para o trabalho.
Imagem 1 -  O programa tem como objeto a concessão de auxílio financeiro no valor de R$ 230,00, por família, tendo determinadas condicionalidades para atender cidadãos não incluídos no sistema contributivo de proteção social e que apresentam vulnerabilidade decorrente do ciclo de vida, bem como da incapacidade para a vida independente e para o trabalho.
O programa tem como objeto a concessão de auxílio financeiro no valor de R$ 230,00, por família, tendo determinadas condicionalidades para atender cidadãos não incluídos no sistema contributivo de proteção social e que apresentam vulnerabilidade decorrente do ciclo de vida, bem como da incapacidade para a vida independente e para o trabalho.

A prefeita Lidiane Marques (PSDB), do município de Tibau, assinou na manhã desta quinta-feira, 25, Projeto de Lei que dispõe sobre a criação do programa de transferência de renda denominado “Tibau Solidário”, que será vinculado a Secretaria Municipal do Trabalho, Habitação e Assistência Social (SEMTHAS).

O programa tem como objeto a concessão de auxílio financeiro no valor de R$ 230,00, por família, tendo determinadas condicionalidades para atender cidadãos não incluídos no sistema contributivo de proteção social e que apresentam vulnerabilidade decorrente do ciclo de vida, bem como da incapacidade para a vida independente e para o trabalho.

Para inserção no programa, as pessoas ou famílias deverão apresentar condições de vulnerabilidade social ou em situação de risco social, e aceitarem a inclusão no acompanhamento familiar sistemático e intensivo, com base em alguns critérios.

Dentre eles, ter renda per capita igual ou inferior a 50% do salário mínimo vigente; participar das ações desenvolvidas pelo CRAS; residir no município comprovadamente há pelo menos dois anos; o titular da família ser inscrito no CPF; as beneficiárias gestantes deverão comprovar estar em dia com o acompanhamento pré-natal, dentre outros.

O programa também estabelece critérios que priorizam famílias, face aos limites orçamentários e financeiros, como a família ser chefiada por mulher; com maior número de crianças e adolescentes com idade inferior a 18 anos e que deverão estar matriculados na rede municipal ou estadual de ensino e com frequência bimestral mínima de 90%, além da comprovação da presença de um dos responsáveis nas reuniões bimestrais.

Ainda estão entre os critérios as famílias que tenham dependente com deficiência ou pessoa incapacitada para a vida independente e para o trabalho ou que tenha dependente idoso com mais de 65 anos.

Será considerado como renda per capita da família a soma dos rendimentos de todos os seus competentes, com idade superior a 18 anos, dividida pelo número de membros que a compõem.

Para os cálculos da renda per capita, serão computados os que já recebem de programas como da Previdência Rural e Urbana, Seguro Desemprego e rendimentos oriundos da economia formal. Não sendo computado para o cálculo o Benefício de Prestação Continuada (BPC) a idosos e pessoas com deficiência, bem como de outros programas públicos de complementação de renda.

Com a assinatura do Termo de Compromisso, os benefícios serão pagos mensalmente por meio de instituição bancária oficial, com a utilização de cartão magnético, sendo identificado o responsável legal da família, sendo preferencial a mulher, na ausência desta ou impedimento, outro responsável pela unidade familiar.

O benefício será revogado se constatada na avaliação social a reincidência da família, cujo responsável prestar declaração falsa ou usar de qualquer outro meio ilícito ou fraudulento para a obtenção de vantagens.

Conforme consta no Projeto de Lei, o repasse financeiro, no valor de R$ 230,00, às pessoas ou famílias contempladas com o benefício será em forma de pecúnia, depositado no cartão magnético, o qual será destinado exclusivamente para a aquisição de gêneros alimentícios, gás de cozinha e vestuário n o comércio local de Tibau ou de cidades circunvizinhas.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário