12 AGO 2022 | ATUALIZADO 19:21
ESTADO
26/11/2021 15:34
Atualizado
26/11/2021 15:34

Mercado Livre de Energia: Caern economiza mais de R$ 6 milhões em um ano

A+   A-  
As projeções feitas no início de 2021 indicavam uma economia variando entre R$ 6 e R$ 14 milhões com o mercado livre. A expectativa para o ano é de uma economia de R$ 8 milhões. Para 2022, a expectativa é de mais economia ainda. A previsão é economizar pelo menos R$ 11 milhões, e espera-se R$ 15 milhões para 2023. Isso será possível, pois os preços contratados da energia livre são decrescentes a cada ano.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

De outubro do ano passado até setembro de 2021, a Caern conseguiu economizar R$ 6,19 milhões nos doze primeiros meses de operação no Ambiente de Contratação Livre, o mercado livre de energia elétrica. Isso comparado aos custos no Ambiente de Contratação Regulado, na modalidade adquirida na concessionária de energia elétrica.

Somente de janeiro a setembro deste ano, a economia foi de R$ 5,64 milhões, destacando-se que esse valor se mostra ainda mais significativo após a implantação de bandeiras tarifárias mais caras no terceiro trimestre para custear o funcionamento das usinas termelétricas.

As projeções feitas no início de 2021 indicavam uma economia variando entre R$ 6 e R$ 14 milhões com o mercado livre. A expectativa para o ano é de uma economia de R$ 8 milhões.

Para 2022, a expectativa é de mais economia ainda. A previsão é economizar pelo menos R$ 11 milhões, e espera-se R$ 15 milhões para 2023. Isso será possível, pois os preços contratados da energia livre são decrescentes a cada ano.

Para 2022, o preço da energia livre será 4,3% menor quando comparado a 2021. Para 2023, a redução será de 9,8% e em 2025 a redução chegará a 28%, todos em relação ao preço de 2021.

A Caern comprou energia oriunda de usinas eólicas e fotovoltaicas, ou seja, de fontes e renováveis e não poluentes. Em julho de 2021, foi efetivada a migração das 60 maiores estações ao mercado livre, o que significa que desde então 60% de toda a energia consumida vem dessas fontes.

O presidente da companhia, Roberto Linhares, comemora os resultados. “Entramos no Mercado Livre de Energia em 2019 e começamos efetivamente a operar no final de 2020, com os resultados já começando a aparecer agora”, ressaltou. Linhares lembra que a companhia tem o compromisso de avançar no consumo de energia oriunda de fontes renováveis.

“No máximo dois anos, a gente deve estar próximo de 100% de energia de fontes renováveis. É um caminho sem volta que a companhia se compromete nas dimensões em que ela atua, trabalhando a eficiência econômico financeira, respeitando o meio ambiente e os demais princípios da sociedade potiguar, que vamos perseguindo sem perder de vista”, completou.


Notas

UNP 27 de junho de 2022

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário