12 AGO 2022 | ATUALIZADO 15:37
NACIONAL
27/06/2022 14:30
Atualizado
27/06/2022 14:34

Conselho aprova Caio Mario Paes de Andrade para presidente da Petrobras

A+   A-  
Foram 7 votos a favor do indicado do governo e 3 votos contra na votação, que teve início às 11h. Andrade foi indicado para o cargo pelo governo federal em maio deste ano, para substituir José Mauro Ferreira Coelho. Já Coelho ocupou o cargo por pouco mais de 60 dias, e renunciou em 20 de junho devido a críticas de políticos após um novo reajuste nos preços da gasolina e do diesel.
Imagem 1 -

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou nesta segunda-feira (27) o nome de Caio Mario Paes de Andrade como novo integrante do órgão e presidente da estatal. Com isso, ele substituirá Fernando Assumpção Borges, que ocupava interinamente a presidência desde 20 de junho.

Foram 7 votos a favor do indicado do governo e 3 votos contra na votação, que teve início às 11h.

Andrade foi indicado para o cargo pelo governo federal em maio deste ano, para substituir José Mauro Ferreira Coelho. Já Coelho ocupou o cargo por pouco mais de 60 dias, e renunciou em 20 de junho devido a críticas de políticos após um novo reajuste nos preços da gasolina e do diesel.

A expectativa era de que o nome de Andrade tivesse de dois a quatro votos contrários à indicação. O número não seria suficiente para impedir a eleição, com o governo tendo uma maioria no órgão após ter indicado seis dos dez conselheiros atuais.

Na última sexta-feira (24), o Comitê de Elegibilidade da estatal aprovou o nome de Andrade, permitindo a votação. A aprovação, entretanto, não foi unânime. O nome recebeu três votos favoráveis e um contrário. Segundo a analista da CNN Raquel Landim,  houve divergências sobre o conhecimento e a experiência dele para ocupar o cargo.

Um dos membros do comitê argumentou que o executivo não tem notório conhecimento no setor de petróleo e não tem experiência no comando de grandes companhias. A maior empresa dirigida por Andrade até agora tinha cerca de 100 funcionários.

De acordo com a ata da reunião do Comitê, Andrade negou ter recebido qualquer “orientação específica ou geral” do governo para mudar a política atual de preços dos combustíveis da Petrobras, que segue a cotação internacional do barril de petróleo.

Com informações da CCN

Notas

UNP 27 de junho de 2022

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário