13 ABR 2024 | ATUALIZADO 13:43
POLÍTICA
04/10/2022 17:09
Atualizado
04/10/2022 17:09

MP Eleitoral aciona candidatos de Assu que praticaram “Voo da Madrugada”

A+   A-  
O procurador eleitoral Felipe Siman, de Assu, acionou a Justiça Eleitoral contra o candidato a deputado estadual Paulo Henrique do Nascimento, o Paulinho do Acredito (União Brasil) e contra o candidato a deputado federal Francisco de Assis Souto, do Té (Solidariedade), por espalhar santinhos durante a madrugada de domingo na Escola Estadual Juscelino Kubitschek e no Complexo Educacional Santo André, em Assu. O mesmo pode acontecer em Mossoró, onde o pessoal da limpeza teve muito trabalho nas primeiras horas do dia da eleição para limpar os locais de votação.
Imagem 1 -  O procurador eleitoral Felipe Siman, de Assu, acionou a Justiça Eleitoral contra o candidato a deputado estadual Paulo Henrique do Nascimento, o Paulinho do Acredito (União Brasil) e contra o candidato a deputado federal Francisco de Assis Souto, do Té (Solidariedade), por espalhar santinhos durante a madrugada de domingo na Escola Estadual Juscelino Kubitschek e no Complexo Educacional Santo André, em Assu. O mesmo pode acontecer em Mossoró, onde o pessoal da limpeza teve muito trabalho nas primeiras horas do dia da eleição para limpar os locais de votação.
O procurador eleitoral Felipe Siman, de Assu, acionou a Justiça Eleitoral contra o candidato a deputado estadual Paulo Henrique do Nascimento, o Paulinho do Acredito (União Brasil) e contra o candidato a deputado federal Francisco de Assis Souto, do Té (Solidariedade), por espalhar santinhos durante a madrugada de domingo na Escola Estadual Juscelino Kubitschek e no Complexo Educacional Santo André, em Assu. O mesmo pode acontecer em Mossoró, onde o pessoal da limpeza teve muito trabalho nas primeiras horas do dia da eleição para limpar os locais de votação.

O Ministério Público Eleitoral ingressou com uma representação contra os candidatos a deputado estadual Paulo Henrique do Nascimento, o “Paulinho do Acredito” (União Brasil); e a deputado federal Francisco de Assis Souto, o “Tê” (Solidariedade), por promoverem o chamado “voo da madrugada”. O derramamento de “santinhos” ocorreu em frente à Escola Estadual Juscelino Kubitschek e ao Complexo Educacional Santo André, ambos na cidade de Assu.

A representação, assinada pelo procurador eleitoral auxiliar Felipe Siman, aponta a existência de diversas imagens provando a irregularidade, com fotos e vídeos dos panfletos, “santinhos” e outros impressos, cujo derramamento afeta “não só a isonomia do pleito como também o meio ambiente e a estética urbana”.

A Lei das Eleições define como crime a divulgação, no dia da eleição, de qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos, prevendo penas que vão de multa a detenção, de seis meses a um ano, com a alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período. No caso específico de Assu, o Ministério Público requer o pagamento de multa.

“Além da tipificação penal, o derrame de santinhos configura também propaganda irregular”, destaca o procurador, lembrando que “todos os candidatos, partidos e coligações detêm o domínio dos respectivos materiais de propaganda confeccionados, sendo responsáveis pela posse, guarda, distribuição, bem como posterior limpeza e destinação final dos resíduos gerados, razão pela qual evidente sua respectiva responsabilidade”.

O MP Eleitoral já havia expedido, no Rio Grande do Norte, uma recomendação advertindo sobre a irregularidade e listando as punições decorrentes da prática do “voo da madrugada”. O alerta foi encaminhado a todos os representantes de coligações e partidos políticos que disputam as atuais eleições, não havendo, portanto, espaço para que os autores aleguem desconhecer a norma.

A representação será julgada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RN).

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário