05 MAR 2024 | ATUALIZADO 18:32
POLÍTICA
Cezar Alves
31/10/2022 21:52
Atualizado
31/10/2022 22:22

Jean Paul Prates fortalecido para assumir o comando da Petrobras no Governo Lula

A+   A-  
Senador pelo PT do Rio Grande do Norte, Jean Paul Prates (na foto ao lado de Lula e o senador Contarato) é graduado em Direito pela UERJ e também Economia pela PUC/Rio. Tem mestrado em Planejamento Energético e Gestão Ambiental na Universidade da Pensilvânia; e em Economia de Petróleo e Motores pelo Instituto Francês do Petróleo, de Paris. Já trabalhou na Petrobras Internacional (Braspetro) e conhece bem a companhia. Ele é contra as privatizações como elas estão acontecendo e critica duramente a prática de preços dos derivados de petróleo no Brasil com Paridade de Importação. Nos últimos meses, Jean Paul tem assessorado Lula sobre energias renováveis e petróleo no Brasil e no mundo.
Imagem 1 -  Senador pelo PT do Rio Grande do Norte, Jean Paul Prates (na foto ao lado de Lula e o senador Contarato) é graduado em Direito pela UERJ e também Economia pela PUC/Rio.   Tem mestrado em Planejamento Energético e Gestão Ambiental na Universidade da Pensilvânia; e em Economia de Petróleo e Motores pelo Instituto Francês do Petróleo, de Paris.   Já trabalhou na Petrobras Internacional (Braspetro) e conhece bem a companhia. Ele é contra as privatizações como elas estão acontecendo e critica duramente a prática de preços dos derivados de petróleo no Brasil com Paridade de Importação.  Nos últimos meses, Jean Paul tem assessorado Lula sobre energias renováveis e petróleo no Brasil e no mundo.
Senador pelo PT do Rio Grande do Norte, Jean Paul Prates (na foto ao lado de Lula e o senador Contarato) é graduado em Direito pela UERJ e também Economia pela PUC/Rio. Tem mestrado em Planejamento Energético e Gestão Ambiental na Universidade da Pensilvânia; e em Economia de Petróleo e Motores pelo Instituto Francês do Petróleo, de Paris. Já trabalhou na Petrobras Internacional (Braspetro) e conhece bem a companhia. Ele é contra as privatizações como elas estão acontecendo e critica duramente a prática de preços dos derivados de petróleo no Brasil com Paridade de Importação. Nos últimos meses, Jean Paul tem assessorado Lula sobre energias renováveis e petróleo no Brasil e no mundo.

O senador Jean Paul Terra Prates, pelo PT do Rio Grande do Norte, ganha força no Congresso Nacional e junto as lideranças do PT para assumir a presidência da Petrobras na gestão de Luiz Inácio Lula da Silva, eleito neste domingo (30) para governar o Brasil a partir do 1 primeiro de janeiro de 2023.

Jean Paul Prates tem formação em Direito pela UERJ e Economia pela  PUC/Rio do Rio de Janeiro, e mestrado em Planejamento Energético e Gestão Ambiental pela Universidade da Pensilvânia e mestrado em Economia de Petroleo e Motores pelo Instituto Francês de Petróleo. Inclusive já foi servidor da Petrobras no início da carreira.

Veja mais sobre a biografia do Senador Prates

Depois que se transferiu para o Rio Grande do Norte no início dos anos 2000, Jean Paul Prates incrementou em seu currículo estudos aprofundados sobre a questão de energia renovável, em especial energia eólica e solar, tendo sido dele a iniciativa de implantar estes seguimentos no Rio Grande do Norte, que logo em seguida se espalhou em território nacional. No RN, a Petrobras foi quem implantou o projeto piloto de energia eólica, três torres em Macau.

Mais recentemente, Jean Paul Prates esteve na Noruega, Dinamarca e Londres conhecendo novas estruturas de energias renováveis, em especial eólica, e se aprofundou na ideia de produção de hidrogênio para substituir o petróleo, em especial para mover os veículos. No Brasil, Jean foi autor de importantes projetos aprovados no Congresso Nacional em benefício da população Brasileira, destacando-se o  Marco Legal das Ferrovias e atualmente trabalha na aprovação do projeto de energia eólica no mar e hidrogônio.

No Senador Federal, Jean Paul Prates defende a fusão da Petrobras com a Eletrobras, “formando uma única e forte empresa estatal de energia em sentido amplo, que potencialize, por meio de exploração de hidrocarbonetos, a tecnologias de energias renováveis”, escreveu.

À imprensa, assim como tem sido no Senado, Jean Paul Prates é um crítico ferrenho da entrega das subsidiárias da Petrobras ao mercado externo no que ele chamou de “bacia das almas”, em negociações cercadas de situações, inclusive, passiva de investigações futuras: é o caso da venda de ativos da Petrobras no Rio Grande do Norte para a 3R Petroleum pelo então presidente da Petrobras Castelo Branco, que, poucas semanas se demitiu da Petrobras e assumiu o comando da 3R Petroleum. Para Jean Paul , é preciso repensar de imediato a real função da Petrobras em benefício do povo brasileiro e não de especulador de mercado. 

Para saber mais da 3R Petroleum

O senador também é contra o decreto presidencial (outubro de 2016 - Governo Temer), que permite as importadoras vender produtos brasileiros como se tivesse sido importado de outros países pagando todos os tribuos. Entre os produtos, estão os derivados do petróleo, o que fez dobrar o preço dos combustíveis no Brasil para o consumidor final, elevando, por cascata, o preço dos produtos da cesta básica dos brasileiros. A feira que se fazia com R$ 400,00, hoje não se faz com R$ 900,00, enquanto que o salário mínimo não aumentou em nada além da inflação camuflada. 

Com este decreto, o Governo Bolsonaro vendeu a BR Distribuidora para os americanos, perdendo o controle da distribuição em território nacional; vendeu todo o sistema de distribuição de gás natural para os canadenses e franceses, perdendo o controle do preço do butijão de gás natural da cozinha do trabalhador; e também vendeu a refinaria da Bahia para os Emirados Arabes, também em negociações, que segundo Prates, precisa ser investigado.

A questão do gás natural, por exemplo, a empresa que comprou alugou o sistema a própria Petrobras, que em 3 anos de aluguel, pagou o preço que foi paga pela venda.

A imprensa nacional, nesta segunda-feira, 31, destacou que Jean Paul Prates é o mais cotado para assumir o posto de presidente da Petrobras, estando o parlamentar se fortalecendo dentro do Congresso e também junto as principais lideranças do PT e o próprio Lula. Jean Paul Prates evita comentar como futuro presidente da Petrobras, mas deixa claro que é preciso repensar a função da estadual em benefício do povo brasileiro, que ainda é o sócio majoritário da companhia. 

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário