21 OUT 2019 | ATUALIZADO 16:00
POLÍTICA

Foi para garantir os serviços essenciais funcionando , diz prefeito

Medidas de contenção de despesas foram anunciadas nesta sexta-feira, 27, pelo secretário de Planejamento Josivan Barbosa; meta é reduzir 25% com manutenção e 5% com a folha
Da redação
28/03/2015 07:01
Atualizado
13/12/2018 07:59
A+   A-  
Imagem 1 -   Foi para garantir os serviços essenciais funcionando , diz prefeito
Cezar Alves

O prefeito Francisco José Junior explicou ao MOSSORÓ HOJE porque das medidas para reduzir as depesas com manutenção e folha na Prefeitura Municipal de Mossoró: "Foi para garantir os serviços essenciais funcionando", diz.

"Essas medidas foram tomadas depois de um estudo realizado por nossa equipe técnica que compõe o Conselho Econômico.", explicou Silveira.

Ainda segundo o prefeito, o município tem sofrido graves perdas financeiras devido às decisões econômicas nacionais, afetando todos os estados e municípios que estão se organizando para evitar colapsos em suas contas. 

"O que estamos fazendo agora é garantir a manutenção da máquina, assegurando os salários e os serviços básicos, além da continuidade de projetos em execução. As medidas que tomamos agora são necessárias para que o município de Mossoró atravesse bem este período duro da economia nacional, mas acreditamos que isso será passageiro. Temos esperança de começarmos a respirar melhor já no segundo semestre." complementou o gestor.

O secretário municipal de Planejamento, Josivan Barbosa, anunciou o pacote de austeridades para reduzir despesas nesta sexta-feira. O decreto foi publicado no Jornal Oficial de Mossoró (JOM) de hoje (28). A medida atinge principalmente no que se refere a custeio e pessoal.

As principais medidas são: Corte de 50% em passagens e diárias nos primeiros e segundo escalões da administração municipal; Corte de 20% em combustível, energia, água e telefone das repartições municipais; Corte de contratos novos de consultoria, aluguel, obras e projetos; e Suspensão de assinatura de novos contratos de prestação de serviços.

De acordo com o Secretário de Planejamento, outras medidas ainda estão sendo estudadas para publicação em um segundo decreto. Uma delas deverá ser o corte de parte dos salários dos gestores, incluindo Prefeito e Vice-prefeito.

"Esperamos economizar cerca de 5% no custeio de pessoal e 25% nas despesas de custeio (manutenção) e capital, menos os serviços de saúde, segurança e educação.", explicou Josivan Barbosa.

O Secretário concedeu à ‘Política Hoje’ entrevista, detalhando as perspectivas da Prefeitura com o pacote. CONFIRA!

Notas

Santa Luza

Publicidades

Eleições 2020 MOSSORÓ

Outras Notícias

Deixe seu comentário