22 ABR 2024 | ATUALIZADO 16:20
POLÍCIA
Cezar Alves
01/03/2024 23:01
Atualizado
01/03/2024 23:41

17º dia: Tatu Martelo estariam cercados perto das cavernas da Furma Feia

A+   A-  
Os rastos deixados pelos fugitivos Tatu e Martelo, confirmados pela Polícia federal, apontam que os dois já estavam a 1.800 metros da divisa com o Estado do Ceará. Porém, quando foram descobertos na casa do sítio em Três Varedas, ao invés de se distanciarem do Presídio Federal, entrando em Jaguaruana-CE, fizeram o caminho inverso, caminhando 8 km por dentro de fazendas na direção da Reserva Nacional da Furna Feia.
Imagem 1 -  Os rastos deixados pelos fugitivos Tatu e Martelo, confirmados pela Polícia federal, apontam que os dois já estavam a 1.800 metros da divisa com o Estado do Ceará. Porém, quando foram descobertos na casa do sítio em Três Varedas, ao invés de se distanciarem do Presídio Federal, entrando em Jaguaruana-CE, fizeram o caminho inverso, caminhando 8 km por dentro de fazendas na direção da Reserva Nacional da Furna Feia.
Os rastos deixados pelos fugitivos Tatu e Martelo, confirmados pela Polícia federal, apontam que os dois já estavam a 1.800 metros da divisa com o Estado do Ceará. Porém, quando foram descobertos na casa do sítio em Três Varedas, ao invés de se distanciarem do Presídio Federal, entrando em Jaguaruana-CE, fizeram o caminho inverso, caminhando 8 km por dentro de fazendas na direção da Reserva Nacional da Furna Feia.
Foto: Pedro Cezar

Os rastos deixados pelos fugitivos Tatu e Martelo, confirmados pela Polícia federal, apontam que os dois já estavam, em fuga, a 1.800 metros da divisa com o Estado do Ceará.

Porém, quando foram descobertos na casa do sítio em Três Veredas, ao invés de se distanciarem do Presídio Federal, entrando em Jaguaruana-CE, fizeram o caminho inverso.

Escaparam do cerco policial em Três Varedas fugindo na direção de Riacho Grande, onde fica Presídio Federal de Mossoró. Teriam caminhado cerca de 8km pelo mato.

O último ponto que foram vistos por testemunhas e confirmados pela Polícia Federal, em fazenda que produz banana e milho já próximo da Reserva Nacional da Furna Feia.

E é nesta região que está concentrado a Força Tarefa, formado por centenas de policiais, em helicópteros, viaturas, motos, drones e até cães farejadores procurando os dois.

A reportagem do Portal MOSSORÓ HOJE, com os devidos cuidados de segurança, entrou no perímetro cercado pela Força Tarefa, para conversar com os moradores desta região.


O caminho escolhido foi pela cidade de Baraúna, partindo acompanhado uma viatura policial, na direção do primeiro ponto aonde Tatu e Martelo foram vistos, Três Varedas.

Com autorização de agentes da Força Nacional, que estavam na primeira barreira, entramos no perímetro de buscas. Os policiais fizeram recomendações que as seguimos.

Por questões de segurança, não informaremos os locais exatos das barreiras e nem os locais que encontramos policiais disfarçados, buscando informações juntos aos moradores.

No Assentamento Vitória, conversamos com o primeiro morador. Ele falou que não queria gravar entrevista, mas falou do medo e ensinou o caminho que a reportagem deveria seguir.

Enfrentando uma chuva fina, uma estrada estreita, com muitas poças d’água, partimos na direção do Assentamentos Vila Nova 2, Vila Nova 3 e, por fim, no Vila Nova 1.

Nesta região, encontramos um aeroporto (antigo Aeroporto da Maisa) abandonado. Os moradores contaram que esta pista é usada por motociclistas para “rachas” e “grau”.

Esta região tem inúmeras propriedades produzindo milho, banana, jerimum, acerola, mamão, melancia, melão, entre vários outros cultivos irrigados e também em regime de sequeiro.

Por ser uma região de produção agrícola, todos os dias entram e saem diversos caminhões carregados. Entram também carros pequenos, camionetas e muitas motos, com trabalhadores das fazendas.

As entradas e saídas desta região, onde a PF encontrou vestígios dos dois fugitivos, estão sendo vigiadas dia e noite, principalmente por agentes da Força Nacional. Encontramos diversas patrulhas nas vilas e nas estradas.

Os veículos são revistados, principalmente os caminhões que entram e saem. Os trabalhadores que usam motos para se deslocarem até as fazendas, precisam tirar o capacete.

As duas pessoas que falaram que avistaram os dois fugitivos na região, disseram que eles estavam com roupas sujas e que estavam se alimentando com banana.

Em contato com o morador Denilson Varela dos Santos, ele disse que é totalmente possível viver na região da Reserva Nacional da Furna Feia escondido nas cavernas e se alimentando de frutas das fazendas.

 Denilson também destacou que é muito difícil encontrar uma ou duas pessoas numa região tão grande, com mata densa e tantas cavernas, como é o cada da Reserva Nacional da Furna Feia.


Já o morador Francisco Lima, conhecido por Peba, disse que a região é o melhor local do mundo para se viver, pois é tranquilo e sempre tem oferta de trabalho sobrando nas fazendas.

Disse que o trabalho da polícia é ótimo e os policiais são gentis. Estão sempre presentes nas vilas. Particularmente Seu Francisco disse que torce que tudo acabe logo, para voltar a dormir na área de casa.

Encerrado a incursão no perímetro de buscas aos fugitivos Tatu e Martelo, a equipe do MOSSORÓ HOJE recebeu ajuda de André Brito Dantas e Jefferson Pontes, para saber como sair da região, não pelo caminho que entramos, mas, sim, pela Maísa.

Aos dois, os nossos agradecimentos.

Aos moradores, no caso de ver os fugitivos, avisar no 181 ou 84 98132 6057.

Assim, encerramos o 17º dia de buscas aos fugitivos do Presídio Federal, Deibson Cabral Nascimento, o Tatu, de 33 anos, e Rogério da Silva Mendonça, o Martelo, de 35 anos.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário