25 MAI 2024 | ATUALIZADO 14:12
EDUCAÇÃO
21/04/2024 20:04
Atualizado
21/04/2024 20:16

Concurso UERN: candidatos recebem provas trocadas na UNP e PM é chamada na UFERSA

A+   A-  
Na UFERSA, uma candidata tentou entrar no local de provas com um celular escondido. Foi conduzida. Já na UNP vários candidatos relataram que receberam as provas erradas. Telêmaco Sandino, um dos candidatos, relatou o caso ao MH. Por volta das 18h30, a UERN informou através de sua assessoria que estava buscando uma solução dialogando com o IDECAN, contratado para aplicar as provas.
Imagem 1 -  Na UFERSA, uma candidata tentou entrar no local de provas com um celular escondido. Foi conduzida. Já na UNP vários candidatos relataram que receberam as provas erradas. Telêmaco Sandino, um dos candidatos, relatou o caso ao MH. Por volta das 18h30, a UERN informou através de sua assessoria que estava buscando uma solução dialogando com o IDECAN, contratado para aplicar as provas.
Na UFERSA, uma candidata tentou entrar no local de provas com um celular escondido. Foi conduzida. Já na UNP vários candidatos relataram que receberam as provas erradas. Telêmaco Sandino, um dos candidatos, relatou o caso ao MH. Por volta das 18h30, a UERN informou através de sua assessoria que estava buscando uma solução dialogando com o IDECAN, contratado para aplicar as provas.
Foto: Cézar Alves

A aplicação das provas do Concurso Público para ingresso de professores e técnicos na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), neste domingo, 21, em Mossoró-RN, registrou dois incidentes no horário da tarde.

No horário da manhã, tudo transcorreu dentro da normalidade, segundo informa a Assessoria da UERN em vídeo divulgado nas redes sociais, inclusive com depoimentos dos candidatos falando de suas perspectivas.

No horário da tarde, foram dois incidentes. No primeiro, ocorrido na UFERSA, uma aluna tentou entrar na sala de provas com um celular escondido e foi detectado. A Polícia Militar foi chamada e a questão encaminhada para as autoridades competentes resolverem.

O segundo incidente aconteceu na aplicação das provas na UNP. Os funcionários do IDECAN - Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional, contratado para aplicar as provas, trocaram as provas em várias salas de aula, provocando indignação dos candidatos.

As reclamações se espalharam rapidamente, porque teve fiscal de sala orientando não responder e outro orientando responder, mesmo as provas estando erradas. "Havia servidores do IDECAN falando abusado", diz um candidato.

Quando passou das duas horas de provas, pelas normais do Edital, os candidatos já poderiam deixar os locais de aplicação das provas. Em sua grande maioria, reclamando do amadorismo do IDECAN em trocar as provas entregues nas salas de aula e a falta de informação de como seria a questão resolvida.

Sentindo-se prejudicado e vendo que estava com a prova do erro do instituto em mãos, o advogado e candidato Telêmaco Sandino, saiu do local das provas, levando a prova, que seria, para ele, uma prova do erro grosseiro cometido pelo IDECAN. Os servidores do IDECAN tentaram impedi-lo, mas ele não entregou. Disse que passou por momentos constrangedores, mas não entrou a prova do erro que havia ocorrido na aplicação das provas na UNP.

A reportagem do PORTAL MOSSORÓ HOJE conversou com vários outros candidatos e todos relataram o mesmo: o IDECAN trocou as provas de várias turmas. "Não sei como vai ficar", diz jovem de veio de Icapui-CE, para fazer as provas em  Mossoró, sonhando com um emprego na UERN.

Se não apresentaram uma solução plausível, pretendo acionar a Justiça, diz Telêmaco Sandino, mostrando a prova, erro grosseiro da empresa IDECAN na aplicação das provas.

Em contato com o MH, a Assessoria da UERN disse que ia conversar com os diretores do IDECAN e buscar uma solução.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário