21 JUL 2024 | ATUALIZADO 13:56
POLÍTICA
03/06/2024 15:34
Atualizado
03/06/2024 15:34

Cármen Lúcia assume presidência do TSE nesta segunda-feira, 03

A+   A-  
Cármen Lúcia é, atualmente, vice-presidente da Corte Eleitoral. Substituirá o ministro Alexandre de Moraes, que completa seu 2º biênio. Quem assume seu lugar na vice-presidência é o ministro Nunes Marques, que tomará posse na mesma data. Ambos foram eleitos em 7 de maio. Por tradição, assume a presidência o ministro mais antigo da Corte. Seu mandato deve durar 2 anos, até 2026.
Imagem 1 -  Cármen Lúcia é, atualmente, vice-presidente da Corte Eleitoral. Substituirá o ministro Alexandre de Moraes, que completa seu 2º biênio. Quem assume seu lugar na vice-presidência é o ministro Nunes Marques, que tomará posse na mesma data.  Ambos foram eleitos em 7 de maio. Por tradição, assume a presidência o ministro mais antigo da Corte. Seu mandato deve durar 2 anos, até 2026.
Cármen Lúcia é, atualmente, vice-presidente da Corte Eleitoral. Substituirá o ministro Alexandre de Moraes, que completa seu 2º biênio. Quem assume seu lugar na vice-presidência é o ministro Nunes Marques, que tomará posse na mesma data. Ambos foram eleitos em 7 de maio. Por tradição, assume a presidência o ministro mais antigo da Corte. Seu mandato deve durar 2 anos, até 2026.

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), assume na noite desta segunda-feira (3) como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tornando-se a segunda mulher a ocupar duas vezes a função. A cerimônia marca também o fim do mandato do atual presidente da corte, Alexandre de Moraes, que conduziu o tribunal durante as eleições gerais de 2022.

Cármen Lúcia foi, entre 2012 e 2013, a primeira mulher a ocupar a presidência do TSE. Seu retorno coincide com a condução das eleições municipais, que acontecem no mês de outubro. Seu vice-presidente, que assume no mesmo dia, será o ministro Nunes Marques, previsto para preencher o cargo de presidente do tribunal em 2026, ano das próximas eleições gerais.

Além de deixar a presidência do TSE, Alexandre de Moraes entregará sua cadeira no tribunal ao ministro André Mendonça. Esta é a primeira vez em que quadros indicados pelo ex-presidente Jair Bolsonaro ocupam a maioria das cadeiras destinadas a ministros do Supremo na corte eleitoral.


Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário