26 SET 2020 | ATUALIZADO 18:37

MOSSORÓ

  Gestão da Ufersa manda arrancar 60 mudas de plantas nativas da frente da instituição. As mudas, nativas da Caatinga, foram plantadas há um mês, por meio de um projeto do Professor Vander Mendonça, do curso de agronomia; A desculpa usada para removê-las foi que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) vai duplicar a BR-110, onde também serão construídos viadutos.
Gestão da Ufersa manda arrancar 60 mudas de plantas nativas da frente da instituição

17/09/2020 18:46

As mudas, nativas da Caatinga, foram plantadas há um mês, por meio de um projeto do Professor Vander Mendonça, do curso de agronomia; A desculpa usada para removê-las foi que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) vai duplicar a BR-110, onde também serão construídos viadutos.

#ForodeMoscow 181 │ QUEM SÃO OS ROSALBISTAS QUE FORAM "SILVERISTAS" NO PASSADO

17/09/2020 11:48

O Foro de Moscow desta quinta-feira destaca como os atuais militantes do rosalbismo empenhavam-se e atuaram na gestão do ex-prefeito Silveira Júnior. Siga no Instagram @agenciamoscow

#ForodeMoscow 180 │ POR QUE TANTAS DESISTÊNCIAS DAS CANDIDATURAS?

16/09/2020 11:54

O Foro de Moscow desta quarta-feira destaca a onda de desistências de candidatos a prefeito e também entre os atuais vereadores da Câmara, que não buscarão renovar o mandato. Entenda por quê. Siga no Instagram @agenciamoscow

  Caso Valéria: assassinato da universitária completa quatro anos sem solução. Valéria Patrícia desapareceu em um domingo, 11 de setembro de 2016. No dia 15 do mesmo mês o corpo dela foi encontrado em um matagal, morta com um tiro na cabeça. Quatro anos depois a pergunta que segue na cabeça da população é: Quem matou Valéria? Caso da jovem encontra-se arquivado no momento.
Caso Valéria: assassinato da universitária completa quatro anos sem solução

16/09/2020 10:19

Valéria Patrícia desapareceu em um domingo, 11 de setembro de 2016. No dia 15 do mesmo mês o corpo dela foi encontrado em um matagal, morta com um tiro na cabeça. Quatro anos depois a pergunta que segue na cabeça da população é: Quem matou Valéria? Caso da jovem encontra-se arquivado no momento.

  “Não precisamos de migalhas que sobram de Mossoró, nós somos Mossoró!”. A afirmação é do Padre Gláudio Fernandes Costa, da Maísa. Em desabado na sua página pessoal do Facebook, o padre aproveitou o momento de aproximação das eleições para cobrar, mais um vez, do poder pública melhorias na comunidade e ainda reforçou que este ano pode ser de mudança para Mossoró, a depender do voto consciente do cidadão. “Cadê tuas ruas pavimentadas? Cadê tuas praças? Cadê tua segurança?”, questionou.
“Não precisamos de migalhas de Mossoró, nós somos Mossoró!”

16/09/2020 09:20

A afirmação é do Padre Gláudio Fernandes Costa, da Maísa. Em desabado na sua página pessoal do Facebook, o padre aproveitou o momento de aproximação das eleições para cobrar, mais um vez, do poder pública melhorias na comunidade e ainda reforçou que este ano pode ser de mudança para Mossoró, a depender do voto consciente do cidadão. “Cadê tuas ruas pavimentadas? Cadê tuas praças? Cadê tua segurança?”, questionou.


Notas

AME