21 JAN 2019 | ATUALIZADO 11:10
POLÍCIA

Não se lida com a violência simplesmente dando uma arma para o cidadão, diz presidente do Senado

Escolha do estado foi unânime entre os governadores do Nordeste, por conta da posição geográfica do Ceará, que fica no centro da região. Lançamento será na próxima quinta, 15.
Da redação
13/03/2018 12:40
Atualizado
13/12/2018 10:13
A+   A-  
Não se lida com a violência simplesmente dando uma arma para o cidadão, diz presidente do Senado
O Ceará será o primeiro estado brasileiro a receber o Centro Regional de Inteligência da Polícia Federal. A criação desse núcleo foi pleiteada pelos governadores do Nordeste em reunião semana passada no Piauí, e tem como objetivo investigar e combater atuação de facções criminosas na região.

O equipamento com sede em Fortaleza será lançado nesta quinta-feira, dia 15, com a presença do ministro da Segurança Pública, Raul Jugmann e o diretor-geral da PF, Rogério Galloro.

Os governadores foram unânimes na escolha do Ceará como sede do Centro devido à posição geográfica do estado, que fica no centro da região. 

"Nós conseguimos que todos os governadores do Nordeste assinassem um documento de concordância de que o Centro de Inteligência fosse  no Ceará, pois é o estado mais estratégico no ponto de vista de passagem por conta do tráfico drogas e de armas", explicou Eunício Oliveira (PMDB), presidente do Senado Federal e senador cearense.

Questionado sobre como será o funcionamento do Centro, Eunício disse que a informação é sigilosa.

"A estrutura, a dimensão e os equipamentos são sigilosos. Talvez na próxima semana estejam em funcionamento. Eu não posso adiantar porque um centro de inteligência é um centro de inteligência. Ninguém entra nele", destacou.

Eunício destacou ainda a importância da investigação para resolver o problema da violência no país. "Não se lida com o problema da violência pura e simplesmente dando uma arma para o cidadão ou aumentando as penas para todos os crimes. Não acho que isso seja o fundamental. O que é necessário é esclarecer os crimes, chegar aos culpados", disse.

O violência no Ceará ganhou manchentes nacionais nas últimas semanas. Foram registradas três chacinas em localidades diferentes. A última, aconteceu na semana passada, onde sete pessoas foram assassinadas. 

Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário