25 MAR 2019 | ATUALIZADO 16:18
POLÍCIA

Presídio Federal de Mossoró recebe mais três presos perigosos do Estado do Ceará

Com a transferência de 39 presos inicialmente para Mossoró, o Governo do Ceará acredita que conseguiu isolar os piores. Neste sábado, os deputados vão votar endurecimento das leis e também recompensa para prender mais bandidos, além dos 319 que já foram capturados
CEZAR ALVES, COM INFORMAÇÕES DE O POVO E DN
12/01/2019 01:54
Atualizado
12/01/2019 02:02
A+   A-  
Presídio Federal de Mossoró recebe mais três presos perigosos do Estado do Ceará
Governador Camilo Santana quer pagar por informações sobre ataques e bandidos das facções em liberdade
Marcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil

Na noite desta sexta-feira, 11, o Governo do Estado do Ceará transferiu Marigebio Ferreira Freitas, Francisco Robério Ferreira Martins e Douglas Feitosa, comandantes da fação Guardiões do Estado (GDE). Agora são 39 presos cearenses no Presídio Federal de Mossoró/RN.

O Presídio Federal de Mossoró já havia recebido na noite de quinta-feira, 15 detentos membros do GDE do sistema prisional do Ceará e na terça-feira já havia recebido 21 detentos do Comando Vermelho. As transferências foram autorizadas pela Justiça Federal.

O secretário de Administração Penitenciária, Luiz Mauro Albuquerque, acredita que isolou, no Presídio Federal de Mossoró, os 39 bandidos do sistema prisional do Ceará que estava comandando assalto, tráfico de drogas e também homicídios naquele Estado.

De Mossoró, os presos serão transferidos para outros presídios federais. Estas transferências devem ocorrer nos próximos 20 dias. Francisco Robério é o líder do GDE. Ele é conhecido por Robertinho do Pantanal e já esteve em presídios federais.

Já o preso Marigébio Ferreira é mais conhecido por Shureck, também acusado de tráfico de drogas e homicídio. Com as medidas adotadas nos 132 presídios, o Governo do Estado espera já está conseguindo controlar os 29 mil presos do sistema prisional.

As transferências foram solicitadas pelo governador Camilo Santana ao ministro da Justiça Sérgio Moro. Inicialmente foram abertas 60 vagas nos presídios federais. A Administração Penitenciária do Ceará passou a isolar os presos e a transferir.

Ataques

O número de ataques no Ceará protagonizando pelas duas facções já ultrapassa a casa de 200 em menos de dez dias e continuam ocorrendo, apesar do reforço de 500 homens da Força Nacional e mais 100 que foram enviados pelo Governo do Estado da Bahia.

No Ceará, o governo enviou projeto de Lei a Assembleia Legislativa, para ser votado neste sábado, 12, endurecendo as leis contra as facções. Uma das medidas prevê recompensa para quem der informações sobre os bandidos. 319 já foram presos.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário